Divulgação
Divulgação

Lula e Renan discutem ajuste fiscal e relação entre PT e PMDB

Ex-presidente está em Brasília desde quarta para ajudar Dilma Rousseff na articulação política com o Congresso

Ricardo Brito, O Estado de S.Paulo

26 Fevereiro 2015 | 08h45

BRASÍLIA - Para aprovar o ajuste fiscal no Congresso e tentar melhorar a relação do PMDB com o governo Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa de um café da manhã nesta quinta-feira, 26, na residência oficial do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Lula está em Brasília desde essa quarta para ajudar Dilma na articulação política. Ainda nessa quarta, ele foi convidado para um jantar com a bancada do PT no Senado.

O encontro de Lula na casa de Renan contará com a presença de integrantes do PMDB próximos ao presidente do Senado, como o líder do partido na Casa, Eunício Oliveira (CE), e o senador Romero Jucá (RR), atual relator-geral do Orçamento de 2015. O ex-senador e ex-presidente da República José Sarney também teria sido um dos convidados para o encontro.

O PMDB, partido que preside a Câmara e o Senado, tem se queixado de estar sendo alijado das principais decisões do governo. A presidente não conta com nenhum integrante do partido em seu núcleo duro, composto por seis ministros do PT. Os peemedebistas reivindicam que ao menos o vice-presidente da República e presidente do partido, Michel Temer, integre esse núcleo do governo.

Anfitrião do café da manhã com Lula, Renan Calheiros tem sido um dos maiores críticos da relação do PMDB com o governo. Na terça-feira, um dia após participar de um jantar com os ministros da área econômica e o chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, em que foi pedido apoio ao partido para aprovar o pacote fiscal no Congresso, o presidente do Senado reclamou que a coalizão do governo da presidente Dilma Rousseff está "capenga". Renan cobra uma participação mais ativa do PMDB e exigiu que o governo também se sacrifique no aperto fiscal, não deixando o ônus apenas para o aliado.

Nessa quarta, quando começou a circular a informação de que Lula se reuniria com peemedebistas em Brasília, o presidente do Senado elogiou a entrada do ex-presidente em campo para ajudar nas negociações. Para ele, Lula tem muito a contribuir na relação. "Claro que tem, sobretudo quem tem experiência, tem muito a colaborar, e é fundamental neste momento ouvir todo mundo e aproveitar a oportunidade para aprimorar essa coalizão de governo", disse Renan. 

*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.