Lula diz que brasileiros ´gostam de falar mal´ do País

Presidente recusa pedido de fotógrafo para estender braços em frente à estátua do Cristo Redentor; na quarta-feira, ele disse que a ´imprensa só noticia coisa ruim´

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h40

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar a imprensa nesta quinta-feira, 14, e disse que os brasileiros gostam de falar mal do Brasil no exterior. "Nós é que temos que cuidar da nossa imagem, da imagem que queremos ter aqui e lá fora", disse. A afirmação de Lula foi feita durante visita ao Corcovado, no Rio de Janeiro. O presidente recusou-se a atender o pedido de fotógrafos e do governador Sérgio Cabral para que abrisse os braços diante da estátua do Cristo. "Se eu abrir os braços sabe a manchete? Lula se compara a Cristo", afirmou. Ele vestiu a camisa da campanha Vote no Cristo. De acordo com ele, a eleição do Cristo "depende só de nós (brasileiros)". Na quarta-feira, ao lançar o Plano Nacional de Turismo, o presidente também criticou a imprensa, alegando que ela só noticia "coisa ruim" e que isso desestimula as pessoas a sairem de casa. "O que a gente vê de bonito na imprensa brasileira? Não tem", desabafou o presidente, em discurso de improviso. Novas Sete Maravilhas Na última semana, as entidades revelaram que o Cristo Redentor está entre os dez finalistas para a eleição das novas Sete Maravilhas do Mundo. Em maio, o Cristo estava entre os 18 primeiros colocados. "Estamos surpresos e bastante otimistas na reta final", disse Sávio Neves, secretário-executivo da comissão organizadora da campanha no Brasil. Além do Cristo, foram anunciados, em ordem alfabética nesta quinta, a Acrópole em Atenas, na Grécia; a pirâmide de Chichen Itzá na planície de Yucatan, no México; o Coliseu em Roma, na Itália; as estátuas gigantes da Ilha de Páscoa; a Grande Muralha da China; o sítio arqueológico de Machu Picchu no Peru; a cidade de Petra , na Jordânia; o Taj Mahal, na Índia; e a Torre Eiffel, na França. (Com Agência Brasil) Texto atualizado às 14h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.