1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Eleições 2014

Lula critica mercado e imprensa sobre Petrobras

ANA FERNANDES, JOSÉ ROBERTO CASTRO, CARLA ARAÚJO E ELIZABETH LOPES - Agência Estado

27 Junho 2014 | 13h 26

Em discurso na convenção estadual do PT na Bahia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva rebateu as críticas do mercado sobre a decisão do governo de contratar diretamente a Petrobras para explorar novos campos do pré-sal.

"Pelo o que eu sei esse tal de mercado internacional nunca votou em você (Dilma) e nunca votou em mim. Quem vota na gente é o povo, cujo único mercado que conhece é onde compra feijão", disse Lula, ao citar as críticas de que a medida anunciada para a Petrobras seria uma manobra para fechar a meta de superávit primário do governo, que é de 1,9% do PIB em 2014. "Esse tal mercado nunca ganhou tanto dinheiro como ganha nesse País, portanto deveria utilizar pelo menos bom senso para fazer os comentários sobre o governo da presidenta Dilma ao invés de se colocar contra, passando informação desvirtuada", completou.

Ele repetiu que grande parte da população brasileira é jovem e não conhece o Brasil anterior à gestão do PT e afirmou que a imprensa contribui para o desconhecimento "das coisas boas que acontecem nesse País". "Parte da juventude brasileira não tem informação correta porque as coisas boas que acontecem nesse País a gente não vê na televisão, a gente não ouve no rádio e muitas vezes a gente não vê no jornal", ressaltou Lula.

O ex-presidente criticou também as manchetes que viu nos jornais sobre a medida anunciada de contratação direta da Petrobras. Segundo Lula, Dilma anunciou ''uma coisa extraordinária para a Petrobras''. "Ela pegou a área da cessão onerosa, que tinha mais que 5 bilhões de barris de petróleo e fez outra concessão para a Petrobras e a Petrobras vai pagar por isso R$ 15 bilhões até 2018, ou seja, a Dilma fez o que 98% dos brasileiros querem que ela faça que é fortalecer a empresa mais importante que nós temos nesse País, orgulho de todos nós."

Eleições 2014