1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

Lula critica dificuldade de se abrir CPI em MG e em SP

CARLA ARAÚJO E GABRIELA LARA - Agência Estado

30 Maio 2014 | 21h 42

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta sexta-feira, durante o Encontro Estadual do PT em Minas Gerais, a "combatividade" da oposição ao pedir por uma CPI para investigar a Petrobras e disse desde 2003 o PT tenta fazer CPI em Minas Gerais. "Os tucanos não permitem que se faça CPI em nenhum outro Estado. Aqui em Minas, em São Paulo", disse, durante evento que selou a pré-candidatura do ex-ministro Fernando Pimentel ao governo mineiro.

Lula fez críticas à situação atual de Minas e disse que o choque de gestão para eles (os tucanos) é não dar aumento para professores e que o Estado tem o ICMS mais caro do Brasil. "Minas é o Estado mais endividado deste País se olhar a dívida com relação ao PIB", afirmou.

O ex-presidente disse ainda que o PT "não vai ter medo" de discutir programa de governo em nenhum lugar e disse que, a partir de agora, vai se dedicar completamente à campanha de reeleição de Dilma e dos candidatos do partido aos governos dos Estados. "Fiz minha última viagem semana passada, a partir de agora estou nas campanhas. Certamente Minas Gerais será um Estado prioritário na agenda que Rui Falcão vai fazer", disse. Além de Lula e Pimentel, estão presentes no evento a presidente Dilma Rousseff, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, e diversas outras lideranças do partido.

Discurso

O ex-presidente afirmou também que "se um Lula incomodava eles", em alusão à oposição, "imagina agora um Lula, uma Dilma e um Pimentel". O ex-presidente participa do evento que sela a pré-candidatura do ex-ministro Fernando Pimentel ao governo mineiro.

Lula disse que o PT conseguiu promover a maior ascensão social que um País já fez em tão pouco tempo, e centrou boa parte de sua fala em críticas à oposição. "O que eles não suportam é que nós humildemente ensinamos eles a governar esse País", disse em um trecho. "O que mais incomoda eles é que a Dilma nunca tinha sido vereadora, nunca tinha disputado um cargo público", falou em outro.

O ex-presidente também afirmou que, como Dilma é presidente, não pode falar certas coisas. "Mas eu, como não recebo dinheiro público, vou falar deles (da oposição). E vou devolver a eles em pílulas o que eles fizeram comigo em oito anos do meu governo." Lula também disse que Pimentel vai se defender de possíveis críticas durante a campanha. "Não é porque a gente é ''paz e amor'' que vai levar desaforo para casa", afirmou.

Eleições 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo