Lula assina MP estabelecendo salário mínimo em R$ 540

De acordo com o ministro Guido Mantega, definição desse valor é positiva para a economia porque evita aumento muito forte no déficit da Previdência

Fabio Graner, Adriana Fernandes e Eduardo Rodrigues / BRASÍLIA, Agência Estado

30 Dezembro 2010 | 19h41

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou há pouco que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou medida provisória que fixa o salário mínimo em R$ 540 para 2011. Ele salientou que a definição desse valor é positiva para a economia porque evita um aumento muito forte no déficit da Previdência e, ao mesmo tempo, preserva o poder de compra do piso salarial do País que, segundo ele, teve o maior crescimento da história nos últimos oito anos.

 

"Com um mínimo de R$ 540, não teremos pressão tão grande na Previdência, o que ajuda no equilíbrio fiscal", disse Mantega. Em relação a um possível impacto de um reajuste menor do salário mínimo (do que ocorreu nos outros anos) na inflação, Mantega preferiu dizer que em 2011 haverá uma redução no nível de atividade da economia brasileira, o que naturalmente já ajuda a controlar a inflação. Ele destacou que a inflação "nunca saiu do controle" e que tem oscilações sazonais, puxadas por commodities e alimentos. Segundo o ministro, se descontar o impacto dos alimentos no IPCA, a inflação neste ano ficaria abaixo de 5%. "Para o próximo ano, a inflação estará controlada".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.