Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Kátia Abreu determina pente-fino em estrutura do antigo Ministério da Pesca

Pasta foi absorvida pela Agricultura e contará com um grupo de trabalho para corrigir problemas, além de ter 70% dos cargos comissionados cortados

Victor Martins, O Estado de S. Paulo

20 Outubro 2015 | 17h00

Brasíli - Depois de absorver o Ministério da Pesca, a Agricultura, comandada por Kátia Abreu, começa a organizar a casa. A ministra determinou, nesta terça-feira 20, uma operação pente-fino na estrutura que recebeu de Helder Barbalho. Entre outras medidas, foi criado um grupo de trabalho para corrigir problemas encontrados pela Controladoria-Geral da União (CGU). Além disso, Kátia Abreu cortou em 70% os cargos comissionados do antigo ministério. A nova Secretaria da Pesca contará apenas com três diretorias. "Será suficiente para trabalhar", disse a ministra pelo twitter. Ela está no México, em viagem oficial.

A prisão de Clemerson José Pinheiro, ex-secretário-executivo de Helder Barbalho, apressou a reorganização do ministério. Ele foi detido na semana passada depois de a Polícia Federal revelar um esquema de propinas para obtenção de licenças ilegais de pesca que variavam de R$ 4 mil a R$ 100 mil. Diante do escândalo, Kátia Abreu trocou praticamente quase toda a equipe que veio do Ministério da Pesca. O Diário Oficial da União dos últimos dias trouxe centenas de dispensas.

Com as mudanças, os secretários do Ministério da Agricultura passaram a acumular funções. André Nassar, secretário de Política Agrícola, foi nomeado nesta terça para a Secretaria de Monitoramento e Controle da Pesca e Aquicultura. Décio Coutinho, secretário de Defesa Agropecuária acumulará a Secretaria de Planejamento e Ordenamento da Aquicultura; Tânia Mara Garib, da Integração e Mobilidade Social, também ocupará a secretaria de Planejamento e Ordenamento. Caio Rocha, o secretário do Produtor Rural e Cooperativismo, será também secretário de Infraestrutura e Fomento da Pesca e Aquicultura. 

A ministra disse que pretende investir no segmento. "Vamos investir em aquicultura para aumentar nossa produção. Vamos fazer a identificação geográfica do peixe da Amazônia. Selo que renderá frutos", afirmou. Kátia Abreu acrescentou que parte da infraestrutura do antigo ministério, como o mobiliário, já tem destinação. Ele vai para o Centro da Embrapa de Aquicultura e Pesca no Tocantins, prédio que está em fase final de construção. A ministra ponderou que essa medida vai gerar economia. "Lá teremos estrutura fantástica, com laboratórios de última geração. O mobiliário será todo transferido do ex-Ministério da Pesca. Tudo novinho", disse.

Mais conteúdo sobre:
Ministério da Pesca Kátia Abreu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.