Kassab: o PSD não saiu, porque nunca entrou no blocão

O ex-prefeito de São Paulo e presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, negou neste sábado (15) que seu partido tenha deixado o "blocão" independente ao governo federal na Câmara, liderado pelo PMDB, após a reforma ministerial e liberação de verbas a parlamentares. "O PSD não saiu, porque nunca entrou no blocão; foi convidado a entrar, mas não entrou e isso foi comunicado no passado por meio de um manifesto assinado por mim", afirmou Kassab antes de evento do partido em Ribeirão Preto (SP).

GUSTAVO PORTO, Agência Estado

15 Março 2014 | 13h01

Kassab disse torcer para que o estresse entre o governo e o PMDB acabe o mais rápido possível e evitou polêmica ao ser indagado se houve falta de habilidade da presidente Dilma Rousseff para contornar a crise. "Não estamos envolvidos e é difícil avaliar se houve falta de habilidade".

No evento, o ex-prefeito de São Paulo estava acompanhado do ex-presidente do Banco Central (BC) Henrique Meirelles, que foi ovacionado e pressionado pelos políticos e representantes do PSD a aceitar a candidatura o Senado em outubro. "Meirelles é o maior especialista em economia e espero que seja candidato ao Senado", afirmou Kassab.

No discurso, Meirelles foi interrompido várias vezes com o apelo para que aceitasse o convite, mas limitou-se a sorrir e agradecer. "Tenho compromissos e a decisão ainda leva tempo. Procuramos colaborar com a construção do partido e, no devido tempo, vamos tomar a decisão", concluiu.

Mais conteúdo sobre:
Gilberto Kassab PSD PMDB blocão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.