Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Justiça Federal revoga prisão domiciliar de Fernando Cavendish

Segundo o juiz Marcelo Bretas, 'o réu vem adotando comportamentos que demonstram a intenção em contribuir com a investigação criminal'

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2018 | 19h44

RIO - A Justiça Federal revogou nesta quinta-feira (8) a prisão domiciliar do empresário Fernando Cavendish, acusado de participar de um esquema de corrupção com o governo do Estado do Rio de Janeiro.

Segundo o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, “o réu confessou a prática das atividades ilícitas descritas na denúncia” e “vem adotando comportamentos que demonstram a intenção em contribuir com a investigação criminal. Assim, (...) sua liberdade não mais põe em risco o regular andamento do processo”.

++ Gilmar decide soltar Sérgio Côrtes, ex-secretário de Saúde no governo Cabral

Bretas proibiu que Cavendish saia do Brasil. Ele deverá entregar seu passaporte à 7ª Vara Federal Criminal do Rio, caso já não tenha feito isso.

 

O empresário foi preso em 2 de julho de 2016, acusado de envolvimento num esquema de corrupção. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), entre 2007 e 2012 a construtora Delta, que pertencia ao empresário, faturou quase R$ 11 bilhões com verbas públicas, o que representa 96,3% de tudo que recebeu nesse período. Desse total, pelo menos R$ 370 milhões foram desviados, acusa o MPF.

Em agosto daquele ano Cavendish passou a cumprir prisão domiciliar, autorizada pela Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.