1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Juiz dispensa Lula de novo depoimento na Zelotes

- Atualizado: 22 Janeiro 2016 | 18h 16

Advogado de réu desistiu de convocação do ex-presidente para audiência na próxima segunda-feira

BRASÍLIA - O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília, dispensou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de prestar depoimento como testemunha de defesa na Operação Zelotes na próxima segunda-feira, 25. A decisão foi tomada após a defesa de Alexandre Paes dos Santos, o APS, réu que o havia arrolado, desistir da convocação de Lula.

Nesta sexta-feira, 22, Lula apresentou petição na qual solicitava a dispensa. Na peça, seus advogados argumentaram que o ex-presidente já havia prestado depoimento sobre o caso à Polícia Federal, no último dia 6 de janeiro, não tendo nada mais a acrescentar sobre o assunto. O conteúdo da oitiva foi antecipado pelo Estado.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva 

O advogado de APS, Marcelo Leal de Lima Oliveira, foi consultado a respeito pelo juiz. Em ofício, explicou que o propósito da inquirição de Lula era demonstrar a "inexistência de atos de corrupção para a compra de medidas provisórias, assim como a absoluta ausência de participação do réu em qualquer dos fatos descritos na denúncia". Por fim, informou estar suprida, diante das declarações do petista à PF, a necessidade da audiência para ouvi-lo na segunda-feira.

"Referido depoimento responde de maneira clara a questionamentos feitos pela autoridade policial, também nos autos do inquérito que animaram a presente ação penal, quanto à possibilidade de particular defender a necessidade de edição de medidas provisórias sem que isso represente qualquer ilicitude", escreveu Leal.

No fim da tarde desta sexta, o magistrado deferiu o pedido de desistência, liberando Lula.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX