Juiz deve assumir prefeitura de Ribeirão Preto

Vice-prefeito abre mão de comandar município após prisão da titular Dárcy Vera

Gustavo Porto, O Estado de S.Paulo

06 Dezembro 2016 | 19h27

RIBEIRÃO PRETO – O vice-prefeito de Ribeirão Preto (SP), Marinho Sampaio (PMDB), publicou nesta terça-feira, 6, uma longa carta nas redes sociais na qual informa que abrirá mão de assumir o comando do município paulista. Com a prisão e o afastamento da prefeita Dárcy Vera (PSD), na última sexta-feira, 2, Sampaio teria até 15 dias para ser empossado pela Câmara, mas abriu mão do cargo para, suas declarações, não se comprometer legalmente em assumir o posto em meio ao caos financeiro da prefeitura local.

“A parte mais injusta é que, se decidisse assumir a prefeitura nestes dias, caberia a mim assinar os balancetes do encerramento do ano fiscal e do mandato, o que pode comprometer o meu nome e patrimônio por dívidas que não fui o responsável”, relata Sampaio, que é vereador eleito e poderia ser penalizado politicamente caso as contas deste ano sejam rejeitadas no futuro.

Com a prefeita presa na Operação Mamãe Noel da Polícia Federal e do Ministério Público por suspeita de desvios de R$ 45 milhões dos cofres públicos e a renúncia de Sampaio, a linha de sucessão passaria à presidência da Câmara Municipal. No entanto, a presidente da Câmara, vereador Walter Gomes (PTB), foi afastado do cargo em setembro pela Operação Sevandija, cujo desdobramento terminou com a prisão de Dárcy. A vereadora reeleita Gláucia Berenice (PSDB) ocupa interinamente o cargo. Diante da impossibilidade de Gomes assumir, um juiz de direito deve comandar a prefeitura nos poucos dias que faltam para o final do atual mandato. Entre os postulantes está Paulo César Gentile, diretor do Fórum municipal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.