Jucá diz que senador que sugeriu renúncia de Temer é candidato à Presidência

O líder da base na Câmara, Ronaldo Caiado, afirmou mais cedo que 'Temer deve ter a sensibilidade que Dilma não teve'

Eduardo Rodrigues e Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

13 Dezembro 2016 | 15h50

BRASÍLIA - O líder do governo no Congresso Nacional, senador Romero Jucá (PMDB-RR), ironizou nesta terça-feira, 13, as insinuações do líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), para que o presidente Michel Temer renuncie.

"O senador Caiado é candidato à Presidência da República e é saudável que haja muitos candidatos para que haja bastante debate em 2018. Mas, a Constituição garante o mandato do presidente Michel Temer até 2018", rebateu.

Jucá citou a alta das ações de estatais e a queda da taxa Selic como indicadores positivos do atual governo, mas lembrou que em nenhum momento a equipe econômica se comprometeu a entregar apenas resultados positivos no curto prazo, uma vez que a situação econômica do País é muito delicada. "Não se faz milagre para ressuscitar do quadro de penúria e desgraça deixado pelo governo do PT", acrescentou.

O senador disse ainda que o governo e o PMDB não temem novas delações, após ministros, parlamentares da base e ele próprio terem sido citados por executivos da Odebrecht em depoimentos que vazaram para a imprensa. "O vazamento de delação não homologada é ilegal", definiu.

Jucá lembrou que Temer pediu clareza e celeridade ao Ministério Público para investigar os fatos citados. "Não dá para duvidar da classe política o tempo todo. Queremos rapidez nas investigações para não gerar suspeições irresponsáveis", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.