Jovens protestam na rampa do Planalto contra reajuste

Cerca de 100 estudantes universitários e secundaristas ocuparam a rampa do Palácio do Planalto no início desta tarde, em protesto ao aumento de salários dos parlamentares. Pela manhã, os estudantes saíram da rodoviária de Brasília e seguiram até o Congresso. A ideia era subir a rampa do Legislativo, mas o excesso de seguranças em frente ao prédio levou os manifestantes a mudar de estratégia. Eles aproveitaram um descuido da segurança presidencial, que dispunha apenas de alguns militares do Exército, para subir a rampa mais famosa do País.

LEONENCIO NOSSA, Agência Estado

27 Dezembro 2010 | 13h21

Durante o protesto, sobrou também para a presidente eleita, Dilma Rousseff. "Ô Dilma, que papelão, tem dinheiro para ministro, mas não tem para a educação", diziam em coro. Os estudantes reclamaram da "ditadura parlamentar". "A gente conseguiu tirar o (ex-governador José Roberto) Arruda do governo do Distrito Federal. Agora, na questão do reajuste dos parlamentares, a população não foi para as ruas. Então restou aos estudantes agarrar essa bandeira", disse Nayara Marins, 19 anos, do curso de Ciências Sociais da Universidade de Brasília (UnB).

O estudante Bruno Campos Oliveira, 16 anos, do colégio Leonardo da Vinci, contou que ficou surpreendido com a própria façanha do grupo de ocupar a rampa. Ele disse que, quando viu soldados em frente ao Planalto, achou que não seria possível fazer o protesto no local. Depois de cerca de 20 minutos, os estudantes seguiram em direção à Esplanada. Nesse momento, carros da tropa de choque de Brasília já estavam no local, além de soldados do Exército e mais homens da segurança da Presidência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.