1. Usuário
Assine o Estadão
assine


José Alencar defende que Brasil tenha bomba atômica

Agência Estado

24 Setembro 2009 | 23h 48

Vice-presidente ressaltou a necessidade de o País ter meios para proteger seu patrimônio

Em uma declaração polêmica, o presidente em exercício José Alencar defendeu ontem que o Brasil tenha armas nucleares como importante "fator de dissuasão" e para "dar mais respeitabilidade" ao País. "A arma nuclear utilizada como instrumento dissuasório é de grande importância para um país que tem 15 mil quilômetros de fronteiras a oeste e tem um mar territorial e, agora, esse mar do pré-sal de 4 milhões de quilômetros quadrados de área", declarou Alencar.

 

Na conversa com jornalistas, em seu gabinete, em Brasília, Alencar, ao ressaltar a necessidade de o Brasil ter meios para proteger seu patrimônio, citou o caso do Paquistão, que, segundo o vice, embora seja um país pobre, tem assento em vários organismos internacionais, justamente por ter a bomba atômica. "Eles sentam à mesa porque eles têm arma nuclear. É vantagem? É, até do ponto de vista de dissuasão é. É importante", observou.

 

Na opinião do presidente em exercício, "nós, brasileiros, às vezes somos muito tranquilos. Nós dominamos a tecnologia da energia nuclear, mas ninguém aqui tem uma iniciativa para avançar nisso. Temos que avançar nisso aí". Em seguida, Alencar passou a pregar também a necessidade de aumento do orçamento das Forças Armadas e da vinculação deste orçamento ao PIB. "Precisa ter uma percentualidade do PIB entre 3% e 5%, que daria muita força para o sistema de defesa, que precisa de cuidado e está abandonado há muito tempo", comentou Alencar, que já foi ministro da Defesa.