1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Mensalao

Joaquim Barbosa deve expedir mandado de prisão de João Paulo nesta terça

Andreza Matais

04 Fevereiro 2014 | 11h 07

Presidente do Supremo preferiu não assinar ordem nessa segunda-feira para evitar constrangimento com parlamentares em razão de sua ida ao Congresso

Brasília - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, deve decretar ainda nesta terça-feira, 4, a prisão do deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP), condenado por envolvimento no esquema do mensalão. O Estado apurou que o mandado de prisão só não foi assinado nessa segunda, 3, porque o ministro participou da solenidade de abertura dos trabalhos legislativos e preferiu adiar a decisão para evitar constrangimentos.

No começo de janeiro, Joaquim Barbosa entrou em férias sem assinar o mandado de prisão de João Paulo. Nos bastidores, integrantes da Corte manifestaram insatisfação com a condução das prisões. Nessa segunda, ao visitar o acampamento de manifestantes que pediam a anulação do julgamento, em frente ao STF, João Paulo afirmou que usará todos os recursos possíveis contra sua condenação. O petista foi acusado a 9 anos e 4 meses de prisão por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro.

Durante a solenidade no Congresso na segunda, o vice-presidente da Câmara dos Deputados, André Vargas (PT-PR), chegou a confrontar o ministro repetindo durante a sessão o mesmo gesto feito pelo ex-ministro José Dirceu e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares no momento que foram presos também por condenação no mensalão.

O Estado apurou que Joaquim Barbosa só irá decidir a situação do ex-deputado Roberto Jefferson, outro condenado pelo esquema, juntamente com a definição da situação de José Genoino. Condenado, Genoino cumpre a pena em casa, depois de passar mal na penitenciária, enquanto aguarda decisão do presidente do Supremo sobre pedido de prisão domiciliar definitiva.

 

Mensalao