Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

João Paulo Cunha devolve R$ 536 mil do mensalão

Ex-presidente da Câmara dos Deputados ressarciu quantia que os ministros do STF entenderam que foi desviada por ele no esquema; com pagamento ele deverá ir para regime aberto

Beatriz Bulla, O Estado de S. Paulo

06 Fevereiro 2015 | 20h40

Brasília - O ex-presidente da Câmara dos Deputados João Paulo Cunha (PT-SP), condenado pelo julgamento do mensalão, efetuou o pagamento dos R$ 531 mil restantes do total que lhe foi imposto junto à condenação pelos crimes de peculato e corrupção passiva no julgamento do escândalo do mensalão.

Em dezembro, o ex-deputado havia pago R$ 5 mil aos cofres públicos, quando pediu progressão do regime, mas teve pedido negado até que pagasse o valor total que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) entenderam que foram desviados, R$ 536 mil.

Com o pagamento total do valor, Cunha deverá ter o benefício de progressão para o regime aberto. Isso depende agora de uma autorização de Barroso, o que deve acontecer após parecer do Procurador-Geral da República (PGR), Rodrigo Janot, para quem o despacho foi encaminhado esta semana. 

Cunha é o único condenado do núcleo político que não teve progressão do regime semiaberto para o aberto. Já foram autorizados a mudar de regime o ex-ministro José Dirceu, o ex-deputado José Genoino (PT), o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, Valdemar Costa Neto (PR-SP), Bispo Rodrigues e Pedro Corrêa (PP-PE) e o ex-tesoureiro do extinto PL Jacinto Lamas. 

Mais conteúdo sobre:
mensalão João Paulo Cunha PT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.