Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Política » Jaques Wagner defende Lula e diz que ex-presidente 'jamais se intimidará'

Política

DIDA SAMPAIO|ESTADAO

Jaques Wagner defende Lula e diz que ex-presidente 'jamais se intimidará'

Ministro da Casa Civil diz em redes sociais que denúncias envolvendo o ex-presidente são injustas; nesta segunda-feira, ele indicou a Dilma nome para substituir o ministro da Justiça no cargo

0

Carla Araújo,
O Estado de S.Paulo

29 Fevereiro 2016 | 14h46

BRASÍLIA - O ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, usou as redes sociais nesta segunda-feira, 29, para fazer uma defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ressaltar que as denúncias envolvendo o nome de Lula são “injustas” e o fortalecerão. A manifestaçõa acontece pouco antes da confirmação da saída do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, do cargo. O substituto dele na função, Wellington Cesar, foi indicado por Wagner a Dilma.

“O povo brasileiro pode ter certeza de que Lula jamais se intimidará. Em vez de enfraquecê-lo, como esperam seus adversários, os reiterados e injustos ataques dos quais tem sido vítima nas últimas semanas só aumentam a vontade dele de continuar lutando por um Brasil mais justo”, escreveu Wagner. “A verdade é que o maior líder popular do Brasil permanece forte e resiliente.”

O ministro lembrou a participação de Lula na festa de 36 anos do PT neste fim de semana e disse que o ex-presidente está ainda mais motivado e disposto a defender o governo da presidente Dilma Rousseff “e o projeto de inclusão que ele representa.”

Cardozo. Pressionado pelo PT após rumores de que o ex-presidente Lula alvo de quebras de sigilos bancário, telefônico e fiscal no âmbito da Operação Lava Jato, o ministro da Justiça se sentiu injustiçado e resolveu entregar o cargo à presidente Dilma. Nesta manhã, em reunião na qual Jaques participou ficou acertada a ida de Cardozo para o lugar de Luís Inácio Adams na Advocacia-Geral da União (AGU).

Wellington Cesar, que deve assumir o lugar de Cardozo, é x-chefe do Ministério Público da Bahia. O procurador esteve recentemente com Wagner, que tem defendido o currículo considerado “muito bom”.

Comentários