1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

Instituto Teotônio Vilela faz críticas ao governo Dilma

RICARDO BRITO - Agência Estado

10 Julho 2014 | 19h 01

O Instituto Teotônio Vilela, vinculado ao PSDB, publicou nesta quinta-feira, 10, um artigo no qual diz que o governo petista perde de "goleada da inflação". No texto, o instituto dos tucanos afirma que o aumento dos preços é um dos temas mais preocupantes dos brasileiros, que, com a Copa do Mundo chegando ao fim, viram-se para os muitos problemas que se acumulam no País à espera de solução.

"O governo petista brincou com o fogo e não parece nem um pouco capaz de controlar o incêndio", diz a entidade, responsável por divulgar a doutrina do PSDB. O texto cita o fato de que em junho, mais uma vez, a inflação acumulada nos 12 meses superou o teto da meta. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA variou 6,52% no período, ante o limite superior da meta, de 6,5%.

"Em 42 meses da administração Dilma Rousseff, esta é décima primeira vez que a meta é estourada. Ou seja, em mais de um quarto do mandato da presidente transcorrido até agora a política econômica em vigor não foi capaz de entregar a inflação prometida. Qualquer semelhança com o desempenho geral do PT no governo não é mera coincidência", critica o instituto

A análise destaca que a tendência nos próximos meses não é de haver refresco e a estimativa é de altas mais fortes, pelo menos, até as vésperas das eleições. O instituto diz que há risco de o IPCA romper o teto e lembra que a média das previsões do mercado, colhida semanalmente pelo Banco Central e divulgadas no Boletim Focus, está em 6,47%, isto é, "a um trio, portanto, do teto".

O texto registra ainda que, nos três anos de mandato, Dilma não passou nem perto de cumprir a meta determina pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). "A meta - que é de 4,5% e não de 6,5% como o governo tenta apregoar - nunca foi cumprida pela presidente, e nem será", diz.

Ao classificar a situação como uma sina das "gestões petistas", o instituto cita o fato de que, nos últimos 12 anos, apenas em três ocasiões a inflação oficial não superou a meta: 2006, 2007 e 2009. "Mas o governo prefere sustentar que foi bem sucedido apenas por não ter deixado o índice estourar o limite superior", completa. Na análise, o instituto diz ainda que o País tem um das maiores índices inflacionários do mundo. Entre os países do G-20, apenas Argentina, Turquia, Índia, Rússia, Indonésia e África do Sul nos superam.

O texto observa que, como fator de complicação, há muitos preços sendo fortemente controlados pelo governo. Ao registrar que a alta deles foi de 3,9% nos últimos 12 meses, a análise aponta que, "se a intenção não for quebrar a Petrobras, inviabilizar a geração de energia ou sucatear ainda mais o transporte público no país, logo logo eles (os preços) terão que ser reajustados". O artigo diz ainda que os demais preços, "livres", estão subindo acima do IPCA, com alta em um ano acumulado de 7,3%.

"Os brasileiros já se deram conta da corrosão mensal de seus salários e apontam a inflação como principal problema do país hoje. Precisamos de políticas consistentes contra a carestia, a ser tratada com tolerância zero. A gestão Dilma, porém, parece ainda acreditar que preços um pouquinho mais altos não fazem mal se o objetivo é conquistar mais crescimento econômico. Não conseguiu nem uma coisa nem outra. E agora assiste o circo pegar fogo, perdendo de goleada para o dragão", conclui o texto.I

Eleições 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo