Insatisfeito, peemedebista chama Dilma de 'ingrata'

Ex-governador de Minas Newton Cardoso aproveitou para criticar a escolha de Fernando Pimentel para o ministério

Eugênia Lopes e Denise Madueño, da Agência Estado,

01 Dezembro 2010 | 19h59

A insatisfação do PMDB com o xadrez ministerial que está sendo armado pela presidente eleita, Dilma Rousseff, foi verbalizada nesta quarta-feira, 1º, pelo ex-governador de Minas Gerais Newton Cardoso, que toma posse daqui a dois meses em seu terceiro mandato na Câmara. Na primeira reunião da bancada com os novos deputados, o ex-governador abriu o verbo: acusou Dilma de "ingratidão" e o PT de levar os melhores ministérios, além de criticar as pastas que estão sendo oferecidas ao PMDB.    

 

 

Veja Também

linkDilma desmente Cabral e diz que ainda não escolheu ministro da Saúde

"A Dilma na campanha só faltou falar 'uai'. Mas depois que venceu a eleição com uma diferença de mais de 1,7 milhão de votos em Minas, ela sumiu do Estado e tirou nossos ministros. Que ingratidão", reclamou Newtão, como é conhecido. Ele aproveitou para criticar a escolha de Fernando Pimentel, candidato derrotado do PT ao Senado por Minas Gerais, para compor o futuro ministério. "Ele (Pimentel) só foi indicado porque é amigo de luta armada da Dilma", disse.

"Que expressão tem esse ministério que está sendo formado para Minas? Nenhuma", afirmou. Newtão bateu forte também na escolha de Miriam Belchior, atual coordenadora do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), para o Ministério do Planejamento. "No Planejamento botaram aquela mulher que é o José Dirceu de saias", disse. Miriam é ligada ao ex-ministro José Dirceu.

Além de reclamar da perda dos ministérios da Integração Nacional e das Comunicações, ele também criticou as pastas que estão sendo oferecidas ao PMDB. "O ministério da Previdência é mais um encargo do que ministério. E Minas e Energia está depenado porque não tem nem a Petrobras nem a Agência Nacional de Petróleo", afirmou.

A partir de 1º de fevereiro, quando toma posse na Câmara, Newtão promete liderar a bancada do PMDB contrária ao governo Dilma. Na primeira reunião da bancada na Câmara, na tarde desta quarta, o ex-governador começou a campanha para conquistar votos para assumir a liderança do partido na Casa. "Eu vou quebrar o pau aqui", prometeu. "Dilma está engessada pelo Lula. Só faz o que ele manda."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.