Guedes nega ter aconselhado Huck a seguir com plano presidencial 

Economista diz que "jamais poderia 'aconselhar Huck a seguir com candidatura', assim como não poderia desestimulá-lo”

O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2018 | 16h18

O economista Paulo Guedes negou neste sábado, 10, que tenha aconselhado o apresentador e empresário Luciano Huck a seguir com o seu projeto de uma eventual candidatura à Presidência da República.

Diferentemente do que diz reportagem publicada pelo Estado, Guedes afirmou, em nota ao jornal, que “nunca diria ‘siga’ ou ‘desista’” ao apresentador.

Após ter anunciado no fim do ano passado que não seria candidato, Huck voltou a se reunir com políticos e outros representantes da sociedade.

Na quinta-feira ele jantou em São Paulo com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e no dia seguinte se encontrou com Guedes. O economista, fundador do banco Pactual, atualmente está alinhado com o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), pré-candidato ao Palácio do Planalto.

“Luciano Huck tornou-se meu amigo. Sabe que formulo o programa econômico liberal para Jair Bolsonaro. É um imperativo moral kantiano respeitar escolhas de amigos sem tentar usá-las para seus próprios propósitos. Eu e ele sabemos disso. Jamais poderia ‘aconselhar Huck a seguir com candidatura’, como noticiado pelo jornal, assim como não poderia desestimulá-lo”, afirmou Guedes.

“Eu nunca diria ‘siga’ ou ‘desista’. Estou onde sempre estive. Sou um liberal democrata que nunca entrou para partidos políticos ou aceitou cargos públicos, apesar de muitas vezes sondado e algumas vezes convidado. Sugeri o nome de Armínio Fraga quando Huck me ‘sondou’ para ministro. Considero ser ministro da Economia de Jair Bolsonaro.”

Após jantar com Huck, Fernando Henrique disse que ele “está considerando a possibilidade” de se candidatar. Sua eventual postulação também foi tema de um almoço na terça-feira passada, no apartamento do ex-presidente, em São Paulo. O almoço reuniu FHC, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (MDB).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.