SERGIO CASTRO / ESTADÃO
SERGIO CASTRO / ESTADÃO

Grupo Vem Pra Rua cancela ato de domingo por preocupação com segurança

Movimento de direita planejava protestar por eleições indiretas enquanto grupos de esquerda estariam nas ruas pedindo "Diretas, já"

Bibiana Borba e Gilberto Amendola, O Estado de S.Paulo

19 Maio 2017 | 13h07

O movimento Vem Pra Rua cancelou a manifestação que havia marcado para o próximo domingo, 21, por motivos de segurança. O protesto para defender a renúncia do presidente Michel Temer (PMDB) ocorreria em paralelo às mobilizações convocadas pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Em São Paulo, os dois grupos se encontrariam no mesmo local, no vão do Masp, na Avenida Paulista.

Embora tanto a direita como a esquerda peçam que Temer deixe o cargo, o Vem Pra Rua — que no ano passado pedia o impeachment de Dilma Rousseff — apoia eleições indiretas no Congresso para a escolha do sucessor do presidente. Já os grupos de esquerda, que são a maioria entre os que já vêm tomando as ruas desde a noite de quarta-feira, cobram que sejam realizadas novas eleições diretas.

Conforme o comunicado divulgado pelo Vem Pra Rua, não houve tempo hábil para planejar a segurança nos protestos. "O adiamento não significa recuo; ao contrário, nada abala nossa convicção de que todos, sem exceção e de que partidos forem, devem ser punidos pelos crimes cometidos', afirma a nota. O ato seria batizado de “Prendam Todos! Temer, Dilma, Lula e Aécio”. "Nós sempre realizamos manifestações de acordo com a Polícia. Mas, dessa vez, a polícia disse que não garantiria o mesmo nível de segurança", disse o coordenador do movimento, Rogério Chequer. A alegação é que com a realização da Virada Cultural em São Paulo, o policiamento ficaria diluído e não seria possível contar com o mesmo efetivo. Chequer afirmou que com o cancelamento de São Paulo, o grupo preferiu segurar as manifestações em outras cidades também. "Somos favoráveis à renúncia do presidente e a prisão de todos os políticos envolvidos em corrupção. Em breve, marcaremos um novo ato", completou.

O protesto da FBP por "Diretas, já!" segue previsto em várias grandes cidades do País, no domingo, 21, durante a tarde.

A manifestação vai pedir a renúncia ou o impeachment do presidente Temer e a realização de eleições diretas (bem como marcar posição contra as reformas da Previdência e Trabalhista). No twitter, o líder do MTST, Guilherme Boulos, escreveu: "O Vem pra Rua acabou de cancelar a manifestação que previam no domingo. Confirmam sua posição chapa branca. Vamos tomar as ruas domingo!"

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.