1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Graça Foster diz que não vai comparecer a comissão no Senado

Ricardo Brito - O Estado de S. Paulo

04 Abril 2014 | 20h 11

Convidada a esclarecer a controversa compra da refinaria de Pasadena, presidente da Petrobrás condicionou sua presença à não instalação de uma CPI para apurar o assunto

Brasília - A presidente da Petrobrás, Maria das Graças Foster, desistiu de comparecer à Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado na próxima terça-feira, 8, para explicar as denúncias que envolvem a estatal. Na semana passada, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), havia anunciado a ida de Graça Foster ao colegiado numa "clara demonstração" de que o governo estava interessado em falar sobre os fatos da estatal petrolífera.

A informação sobre a desistência de Foster foi confirmada pelo presidente da CAE, Lindbergh Farias (PT-RJ). O petista disse que a presidente da Petrobrás mandou nesta sexta-feira, 4, um ofício para a comissão dizendo ter sido orientada pela liderança do partido no Senado a não comparecer à comissão neste momento.

Lindbergh afirmou que a presidente da Petrobrás garantiu que se não for criada a CPI vai "imediatamente" à CAE para explicar as denúncias que envolvem a estatal e quais providências têm sido tomadas pela Petrobrás. Por se tratar de convite, regimentalmente a autoridade não é obrigada a comparecer.

A articulação que envolveu o convite a Foster, que também previa o depoimento do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, tinha por objetivo esvaziar proposta dos oposicionistas de criação de uma CPI da Petrobrás. A ação ocorreu logo após a revelação do Estado de que a presidente Dilma Rousseff, quando era presidente do Conselho de Administração da estatal, aprovou a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), com base em um resumo falho e incompleto.

Essa operação da base aliada, no entanto, foi frustrada porque a oposição conseguiu reunir assinaturas para criar duas CPIS: uma exclusiva do Senado e outra mista, composta por deputados e senadores. Os aliados contra-atacaram e criaram duas CPIs cópias da oposição, mas que também querem investigar casos do PSDB de Aécio Neves e do PSB de Eduardo Campos. Até o momento, não há uma decisão sobre qual CPI será criada.

 

 

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo