1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Graça fala e Congresso pode adiar investigações

RICARDO BRITO E NIVALDO SOUZA - Agência Estado

15 Abril 2014 | 11h 13

As comissões de Assuntos Econômicos e de Fiscalização e Controle do Senado abriram pouco antes das 11 horas desta terça-feira, 15, a audiência pública da presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster. No momento em que o Congresso ameaça criar uma CPI para investigar a estatal, ela deve explicar as ações da empresa e principalmente tentar esclarecer a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA).

A reunião começou com cerca de 45 minutos de atraso e será realizada numa sala lotada. Antes do encontro, ela passou no gabinete do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Aliado de Dilma Rousseff, num raro gesto político Renan fez questão de levá-la até a sala onde a audiência será realizada. Ela fará uma exposição inicial por 30 minutos e depois vai ser aberto o momento para questionamentos.

A estratégia dos governistas é adiar, o quanto for possível, a abertura da investigação no Congresso. Na semana passada, os senadores da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) se valeram do argumento de que é necessário aguardar uma resposta do Supremo Tribunal Federal para defender que a decisão sobre a CPI da Petrobras fosse adiada. A mesma articulação tem sido defendida esta semana para postergar, para após a Semana Santa, a instalação da CPI.