Governo anistia Lamarca e pagará pensão à família

Ele é considerado um dos principais nomes da luta armada contra ditadura no Brasil

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h40

A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça anistiou nesta quarta-feira, 13, o líder guerrilheiro Carlos Lamarca, um dos principais nomes da luta armada contra a ditadura no Brasil, morto em 1971. Com a decisão, a viúva de Lamarca, Maria, passará a receber do Ministério da Defesa uma pensão de 12 mil reais, correspondente ao montante pago para um general de brigada do Exército. Lamarca era capitão do Exército quando desertou da corporação para ingressar na luta armada. Segundo nota do Ministério da Justiça, o líder guerrilheiro teria se aposentado como coronel se seguisse na carreira militar. "Mas a legislação determina que os inativos recebem o valor referente a um posto acima na graduação militar", afirma a nota. Além da pensão, a viúva de Lamarca e os filhos do líder guerrilheiro, Claudia e Cesar, receberão indenização em prestação única de 100 mil reais. Segundo a nota do ministério, é necessário respeitar o prazo de 30 dias para eventuais recursos à decisão antes do processo ser encaminhado para o setor de finalização da comissão e para a assinatura do ministro Tarso Genro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.