Goldman responde Doria após ser chamado de fracassado: 'Raivoso, preconceituoso'

Ex-governador e vice-presidente nacional do PSDB

O Estado de S. Paulo

07 Outubro 2017 | 21h25

SÃO PAULO - A troca de farpas entre os tucanos nas redes sociais ganhou um novo capítulo. Após questionar o prefeito de São Paulo, João Doria, sobre a agenda política visando uma possível candidatura à presidência da República em 2018 e ouvir em troca que "vive de pijamas", o ex-governador Alberto Goldman voltou ao Facebook para sua tréplica. Em novo vídeo divulgado neste sábado, 8,  Goldman sobe ainda mais o tom contra Doria e sua gestão: "O prefeito ainda não nasceu depois de nove meses. Nasceu sim um candidato à presidência da República", afirma.  

"Doria publica um vídeo contra mim em tom bastante raivoso, prepotente, arrogante, preconceituoso. Me acusa de ser velho. Sou velho, mas não sou velhaco. Sou leal, tenho dignidade, respeitado e tenho compromisso com meu povo", afirma Goldman.

 

O "cabeça branca" tucano ainda discorre sobre seus méritos eleitorais para atacar o atual prefeito paulista: "Nunca usei meu mandato como trampolim para obter outro mandato. Todos que tive foram obtidos ou pelo respeito que eu tenho ou por eleição".

Doria respondeu ao primeiro vídeo do vice-presidente nacional do PSDB na sexta-feira (6), por ter sido questionado pelas viagens que tem feito pelo País e pelo exterior. O prefeito chamou Goldman de "improdutivo" e "fracassado": "Você coleciona fracassos na sua vida e agora vive de pijamas na sua casa", disse.

"Participei de nove eleições sem nenhuma derrota. O povo sempre foi o autor dessa minha história política", afirma Goldman. "Doria não responde a questão principal que coloquei no meu vídeo. A própria prova disso (da acusações de utilizar o cargo como trampolim político) é a agenda dele deste final de semana. Esse é o prefeito que a cidade elegeu, que deixou a cidade às traças", completa o ex-governador. 

Goldman não é o primeiro tucano a questionar o prefeito. Em junho, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que o sucesso de Doria viria da capacidade de comunicação e não de mudanças efetivas na cidade. Em resposta, o prefeito disse que FHC "precisa sair mais do apartamento". 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.