1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Gleise Hoffman deseja sucesso a Mercadante

RICARDO DELLA COLETTA E RAFAEL MORAES MOURA - Agência Estado

04 Fevereiro 2014 | 10h 57

Em seu discurso de despedida da Casa Civil, a ex-ministra Gleisi Hoffmann agradeceu a presidente Dilma Rousseff pelos mais de dois anos que esteve à frente da pasta. "Muito obrigado por tudo o que pude aprender sobre gestão pública e pela oportunidade de trabalhar em projetos que mudaram a vida das pessoas", disse Gleisi nesta terça-feira, 4, que foi substituída na chefia da Casa Civil por Aloizio Mercadante, até então ministro da Educação. Ocorre nesta manhã cerimônia de transmissão de cargo na pasta.

Gleisi destacou que, à frente da Casa Civil, buscou um diálogo com os demais ministros, empresários, sindicatos e com os líderes políticos do Congresso. Disse também que o foco da Casa Civil foi a gestão de programas de governo, "com prioridade para a inclusão dos mais pobres".

Infraestrutura

Gleisi disse que a Casa Civil realizou "a condução de um grande plano de investimento" em logística, nas rodovias, ferrovias, portos e aeroportos. "Não deixei de tomar partido assumindo com responsabilidade a condição de agente do poder público disposta a levar adiante um futuro compatível com a grandeza do Brasil."

A ministra ressaltou que o governo inaugurou um novo modelo de investimento com as concessões e defendeu que "é possível equilibrar retorno de investimento com obras em prazos mais curtos". "Não é fácil fazer mudanças, os interesses contrários se manifestam com estridência. Nem todos os interesses são conciliáveis".

Sobre as ações em ferrovias, ela disse que o novo modelo não permitirá mais a existência de monopólios no setor. "Teremos um sistema ferroviário aberto", disse.

Ela também pontuou que "é preciso apostar nas mudanças" e defendeu as medidas do governo Dilma, dizendo que a presidente tem atuado em favor do interesse coletivo.

Gleisi também disse acreditar em sucesso da Copa do Mundo e da Olimpíada. Ao final do pronunciamento, Gleisi desejou "êxito e sucesso" a seu sucessor, Aloizio Mercadante.