1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Força Aérea do Equador receberá Supertucanos da Embraer

Roberto Godoy, de O Estado de S. Paulo

23 Março 2009 | 19h 16

Negócio, avaliado em US$ 261 milhões, estava embargado desde novembro; 24 unidades serão entregues

A aviação de combate do Equador vai receber os aviões que queria - 24 aviões Super Tucano, turboélices fabricados pela Embraer - e que o governo do Brasil havia decidido não financiar. Segundo o ministério da Defesa, o primeiro lote, as quatro unidades de um esquadrão, será entregue no fim do ano. O negócio, avaliado em cerca de US$ 261 milhões, estava embargado desde novembro. Todos os custeios correrão por conta do governo equatoriano com dinheiro próprio.

 

O primeiro modelo da operação previa que os recursos sairiam do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Em novembro a administração do presidente Luis Inácio Lula da Silva embargou o processo de concessão de crédito. Foi uma retaliação pelo calote anunciado na ocasião pelo presidente Rafael Correa, que decidiu recorrer à Corte Internacional de Arbitragem para não pagar uma outra dívida de US$ 243 milhões ao BNDES.

 

Nesta segunda-feira, em Brasília, funcionários do Palácio do Planalto destacavam que o veto não foi, em nenhum momento, a opção preferida na administração Lula, mas uma consequência da pendência financeira referente a um obra do grupo Odebrecht. A venda dos aviões não foi suspensa, destacaram as mesmas fontes. Mas dependia da obtenção de outra linha de crédito.

 

Leia a reportagem completa na edição de terça-feira, 24, de O Estado de S. Paulo