André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

'Foi um ponto fora da curva', diz Maia sobre declarações de Segovia

Presidente da Câmara minimiza crise gerada com falas do diretor-geral da Polícia Federal

Isadora Peron, Igor Gadelha, Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2018 | 11h59

BRASÍLIA - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), minimizou as declarações do diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, em relação ao inquérito envolvendo o presidente Michel Temer.

+++ Randolfe Rodrigues pede na Justiça saída de Segovia

"Acho que está realizando o trabalho dele. Acho que está se criando uma crise maior do que é. Acho que foi um episódio, foi ponto fora da curva, não é algo sistemático. Um ponto fora da curva não significa muita coisa", disse.

+++ Para associação de delegados da PF, mea-culpa de Segovia não resolve crise

A oposição, no entanto, tem pedido a demissão de Segovia do cargo, acusando-o de interferir no curso das investigações.

"Muitas coisas foram vazadas ao longo dos anos de inquieto, nem por isso inquérito foi inviabilizado. Talvez não precisaria ter falado. Não acho que essa foi a intenção", afirmou.

Em entrevista à agência de notícias Reuters, Segovia afirmou que as investigações da PF não encontraram provas de irregularidades envolvendo Temer no chamado Decreto dos Portos. Ele sugeriu que a tendência da corporação é recomendar o arquivamento do inquérito.

+++ Diretor-geral da PF presta esclarecimentos a ministro do STF na segunda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.