1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

FHC rebate Lula e lamenta campanha em 'níveis tão baixos'

José Roberto Castro - Agência Estado

16 Junho 2014 | 09h 38

'Não era preciso vestir a carapuça', afirmou ex-presidente ao petista que, após críticas ao PT na convenção do PSDB, acusou tucano de comprar voto para se reeleger

São Paulo - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) respondeu, em nota publicada nesta segunda-feira, 16, as acusações feitas pelo também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de que houve compra de votos para aprovação da emenda da reeleição, em 1996. Segundo o tucano, a acusação é uma "falsidade" que "ninguém teve a coragem de levar à Justiça".

A troca de farpas teria começado no sábado, quando Fernando Henrique defendeu o combate à corrupção em discurso na convenção do PSDB que lançou a candidatura do senador Aécio Neves. Nesse domingo, em discurso durante a convenção estadual do PT em São Paulo, Lula acusou seu antecessor de agir com "desfaçatez". "Na convenção deles vi o ex-presidente falar com a maior desfaçatez 'é preciso acabar com a corrupção'. Ele devia dizer quem é que estabeleceu promiscuidade entre Executivo e Congresso Nacional quando ele começou a comprar voto para ser aprovada a reeleição em 1996", afirmou Lula.

FHC se defende dizendo que, quando disse que "queria ver os corruptos longe", não acusou ninguém. "Não era preciso vestir a carapuça. A acusação de compra de votos na emenda da reeleição não se sustenta: ninguém teve a coragem de levar essa falsidade à Justiça", escreveu o tucano. O presidente de honra do PSDB disse ainda que lamenta que Lula "tenha levado a campanha eleitoral para níveis tão baixos".

 

Leia a íntegra da nota divulgada por Fernando Henrique em seu Facebook:

"Lamento que o ex-presidente Lula tenha levado a campanha eleitoral para níveis tão baixos. Na convenção do PSDB não acusei ninguém; disse que queria ver os corruptos longe de nós. Não era preciso vestir a carapuça. A acusação de compra de votos na emenda da reeleição não se sustenta: ninguém teve a coragem de levar essa falsidade à Justiça.

Não é verdade que a oposição pretendesse derrubar o presidente Lula em 2005. Na ocasião, pedimos justiça para quem havia usado recursos públicos e privados na compra de apoios no Congresso, o que foi feito pelo Supremo Tribunal Federal.

Apelo às lideranças responsáveis, do governo e da oposição, para que a campanha eleitoral se concentre na discussão dos problemas do povo e nos rumos do Brasil."

Eleições 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo