1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail
http://topicos.estadao.com.br/operacao-lava-jato

Ex-primeira-dama comprou barco de pesca para sítio em Atibaia

- Atualizado: 30 Janeiro 2016 | 16h 41

Nota fiscal mostra que Marisa Letícia, mulher do ex-presidente Lula, adquiriu embarcação em setembro de 2013

A ex-primeira-dama Marisa Letícia, mulher de Luiz Inácio Lula da Silva, adquiriu um barco e indicou como endereço para entrega o sítio em Atibaia (SP) que é frequentado pela família do ex-presidente, segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo. 

O sítio de 170 mil metros quadrados é alvo de inquérito da Operação Lava Jato desde meados do ano passado. A investigação que inicialmente apurava envolvimento da empreiteira OAS com a ampla reforma do imóvel ganhou novos contornos após a suspeita de que as intervenções no local foram pagas pela Odebrecht. As duas empreiteiras são investigadas na Lava Jato por formação de cartel. Executivos e sócios das empresas são réus por corrupção, acusados de pagar propinas para obter contratos com a Petrobrás.

O ex-presidente confirma que, “em dias de descanso”, frequenta o sítio. A área está registrada em nome de dois sócios de Fábio Luís da Silva, filho do ex-presidente - Jonas Leite Suassuna e Fernando Bittar, filho de Jacó Bittar, fundador do PT e amigo próximo de Lula.

A reportagem da Folha de S.Paulo obteve nota fiscal que registra a compra do barco de alumínio, com seis metros de comprimento, modelo Squalus 600. A embarcação foi adquirida em setembro de 2013 por R$ 4.126. O jornal informou que a nota fiscal foi fornecida pela fabricante do barco, a empresa Alumax, do grupo Levefort.

O Estado não conseguiu contato ontem com o Instituto Lula. 

Intimação. O Ministério Público de São Paulo, o promotor de Justiça Cássio Cosserino intimou anteontem Lula e Marisa para deporem, como investigados em um inquérito aberto para investigar oito empreendimentos da Bancoop assumidos pela OAS. Um desse empreendimentos é o condomínio Solaris, no Guarujá (SP). O promotor já admitiu a possibilidade de denunciar o ex-presidente pela ocultação de patrimônio na propriedade do tríplex 164 A, que foi reformada pela OAS ao custo de R$ 777 mil. Lula nega ser proprietário do imóvel. O Instituto Lula, presidido por Paulo Okamotto, afirma que Marisa Letícia desistiu no ano passado da opção de compra do apartamento e classificou como “infundadas” e “levianas” as suspeitas da Promotoria.

http://topicos.estadao.com.br/operacao-lava-jato
Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX