Eventos são fiscalizados, diz Ministério do Turismo

Pagamento de cachês de artistas com dinheiro de emendas está previsto com base em regras definidas pela pasta

Thiago Faria, O Estado de S.Paulo

07 Janeiro 2018 | 07h25

BRASÍLIA - O pagamento de cachês de artistas está previsto como um dos destinos possíveis de emendas parlamentares, desde que siga regras definidas por meio de portaria do Ministério do Turismo. Segundo a assessoria da pasta, para receber, o artista precisa estar previamente cadastrado no ministério e todos os eventos são fiscalizados.

A portaria prevê até a fiscalização in loco no caso de eventos que recebam repasses superiores a R$ 300 mil ou que já tenham sido alvo de denúncias de irregularidades. O ministério também envia um funcionário ao local em caso de solicitações dos órgãos de controle.

A deputada Gorete Pereira (PR-CE) disse que o financiamento do São João de Maracanaú com emenda já se tornou “tradição”. “Maracanaú é considerado o segundo maior São João do Brasil. A cidade tem 260 mil eleitores. A festa junta de 30 mil a 40 mil pessoas por show. O que eu boto (no São João) é tradição. Já é o sexto ano seguido”, disse Gorete.

A assessoria do cantor Wesley Safadão informou que não se manifesta sobre “assuntos políticos”. Os outros artistas que participaram da festa não foram localizados para comentar.

Autor da emenda que custeou uma etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross em Tupaciguara, em Minas, o deputado Tenente Lúcio (PSB-MG) afirmou que o repasse se deu por sua atuação na área do esporte. O deputado Renato Molling (PP-RS) foi procurado, mas não respondeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.