‘Era só sugestão de pauta, não tem nada a ver esse projeto estar lá’

O deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP) negou que tivesse incluído o projeto que anistia os parlamentares cassados no escândalo do mensalão na pauta

Eduardo Bresciani, de O Estado de S.Paulo

03 Novembro 2011 | 22h41

Presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e réu no processo do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o escândalo do mensalão, o deputado João Paulo Cunha (PT-SP), ao ser abordado ontem pela reportagem do Estado, inicialmente negou que tivesse incluído o projeto que anistia os parlamentares cassados na pauta. Depois, afirmou que iria pedir à equipe da comissão para retirar a proposta.

 

Está na pauta da Comissão de Constituição e Justiça o projeto que trata da anistia aos deputados cassados no caso do mensalão. Por que o senhor pautou?

Eu não pautei. Essa pauta deve ser remanescente. Eu não vi esse projeto. Ele não vai ficar na pauta. Não vai ser apreciado. Vou pedir para retirar.

 

Mas o senhor o tinha colocado na pauta por quê?

Nem sei por que isso foi para a pauta. Alguém deve ter pedido para colocar o outro projeto, do Mulim (Neilton Mulim, do PP-RJ), e esse veio junto. Vou montar a pauta ainda e te garanto que isso não vai ser apreciado. (Minutos depois, em novo contato por telefone). Eu já mandei retirar. Aquilo que estava lá era só uma sugestão de pauta, não tem nada a ver esse projeto estar lá. Quero ressaltar que o projeto do Mulim é para proibir anistia e mesmo se os dois ficassem na pauta não tinha problema porque o relatório é contrário.

 

Mas nada impede o plenário da comissão de aprovar mesmo com o parecer contrário.

Sim, mas nesse caso dificilmente teria como prosperar, por se tratar desse tema e por ter um relator de destaque como o (deputado) Gabriel Chalita (PMDB-SP).

 

Então não é a hora de discutir esse projeto?

Isso. Não tem por que discutir isso agora.

 

Mais conteúdo sobre:
João Paulo Cunha PT Câmara Mensalão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.