1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Era 'brincadeira', diz Lula sobre críticas à política econômica de Dilma

Ricardo Galhardo - O Estado de S. Paulo

10 Junho 2014 | 23h 58

Na sexta passada, ex-presidente criticou publicamente o secretário do Tesouro, Arno Augustin, pela diminuição na oferta de crédito

Jf Diorio/Estadão
LUL6578 SÃO PAULO 10/06/2014 NACIONAL LULA Luis Inácio Lula da Silva durante seu discurso no LAC Global Summit 2014 realizado no auditório Ibirapuera, Parque do Ibirapuera. FOTO JF DIORIO / ESTADÃO CONTEÚDO

São Paulo - Cinco dias depois de ter reclamado da escassez de crédito causada pela política econômica do governo Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva minimizou suas diferenças em relação à sucessora. Em rápida entrevista na noite desta terça-feira, 10, em São Paulo, Lula disse que estava apenas brincando quando alfinetou o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, durante palestra em Porto Alegre, na sexta-feira, e fez questão de não deixar dúvidas quanto à sua sintonia com Dilma. 

“Não tem divergência, não. Eu sou do governo”, disse Lula, depois de participar do Fórum Empresarial América Latina e Caribe no Auditório do Ibirapuera.

Na última sexta, 6, em evento promovido pelo jornal El País, Lula disse que “se depender do pensamento do Arno você não faz nada”, comparou o secretário do Tesouro a um tesoureiro de sindicato e cobrou publicamente Augustin a explicar qual o motivo de controlar o crédito se não existe inflação de demanda no país.

Nesta terça, Lula disse que as referências ao secretário do Tesouro foram brincadeiras mal interpretadas pela imprensa.

“Eu fiz uma brincadeira e a imprensa transformou numa coisa séria como se fosse uma divergência profunda. Eu brinquei com ele (Augustin) dizendo que dá para liberar um pouquinho de crédito. Ele não ficou bravo, só vocês (jornalistas) é que acharam que foi divergência”, disse o ex-presidente.