Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Em tratamento, Lula grava em casa programa do PT

Presidente se recupera da primeira sessão de quimioterapia a que foi submetido no combate contra um câncer na laringe

Gustavo Uribe, ,

14 Novembro 2011 | 13h50

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva gravou, nesta última sexta-feira, participação no programa partidário do PT, que será veiculado em cadeia nacional no mês de dezembro.

A gravação foi feita na residência do petista, na região central de São Bernardo do Campo (SP), onde se recupera da primeira sessão de quimioterapia a que foi submetido no combate contra um câncer na laringe.

A presença do ex-presidente na propaganda partidária ainda era dada como incerta no início da semana passada, em decorrência dos primeiros efeitos colaterais do tratamento contra a doença. O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), relatou na sexta-feira, após visita ao petista, que o tratamento médico gerou efeitos tanto no ânimo como no paladar do ex-presidente.

A próxima sessão de quimioterapia a que o petista será submetido está programada para o início da próxima semana.

A agenda pública do ex-presidente foi cancelada, mas ainda há a expectativa de que ele participe, na quarta-feira, de um encontro com empresários brasileiros na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na capital paulista. O evento é organizado pelo Instituto Lula e visa a estimular os empresários brasileiro a investir na África.

No encontro, são esperadas ainda as presenças de embaixadores de países africanos, membros de organismos internacionais, técnicos e acadêmicos. A presença do petista dependerá de seu estado de saúde. Na última semana, o embaixador brasileiro Mauro Vieira representou o ex-presidente na entrega do Prêmio Africare, em Washington, nos Estados Unidos.

 

As viagens tanto nacionais como internacionais do ex-presidente foram suspensas até o final de janeiro de 2012.

 

 

 

Mais conteúdo sobre:
Lula câncer tratamento programa PT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.