Gabriela Biló|Estadão
Gabriela Biló|Estadão

Em nota, PSDB reafirma 'compromisso' com o governo Temer

Reação ocorre no momento em que o partido demanda maior protagonismo na equipe econômica da atual gestão

Valmar Hupsel Filho e Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

05 Dezembro 2016 | 19h13

Após demandar protagonismo na formulação da política econômica e recusar a pasta da Secretaria de Governo, vaga desde a saída de Geddel Vieira Lima, o PSDB publicou nota nesta segunda-feira,5, reafirmando o compromisso do partido com o governo do presidente Michel Temer. O texto é assinado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, presidente de honra, pelo senador Aécio Neves (MG), presidente da legenda, e os líderes tucanos na Câmara, deputado Antonio Imbassahy (BA), e no Senado, senador Paulo Bauer (SC). Um grupo de senadores vai levar em breve ao presidente Temer propostas para a retomada do crescimento econômico.

Na publicação, as principais lideranças do PSDB dizem que confiam "nos rumos que o governo está imprimindo à economia brasileira neste momento extremamente difícil". Os tucanos reiteram ainda "os compromissos expressos pelo partido quando decidiu apoiar o governo de transição sob comando do presidente Michel Temer e entregou um conjunto de ideias para o país" para a retomada econômica.

"É com este exclusivo sentido que o PSDB dará as sugestões que pareçam pertinentes para o Brasil superar as crises pelas quais passa", dizem os líderes. Sabemos da gravidade da situação herdada, gerada pelos erros e irresponsabilidade dos governos anteriores. Por isso mesmo cabe ao PSDB continuar a agir de forma responsável, como esperam os brasileiros e como o país precisa", diz o texto.

A nota foi elaborada após uma reunião entre FHC e Aécio. Os dois se encontraram na manhã desta segunda no apartamento do ex-presidente, no bairro de Higienópolis, em São Paulo. 

Contexto. Em caráter reservado, aliados de Temer dizem ter receio de que o PSDB rompa com o Planalto em 2017 caso a economia permaneça estagnada e a popularidade do presidente muito baixa – o que poderia comprometer o projeto do partido em 2018, ano da sucessão presidencial. No governo, são recorrentes as reclamações de que os tucanos estariam enviando sinais trocados. De um lado fazem juras de lealdade, mas de outro criticam a condução da economia.

Dois exemplos desse “jogo duplo” envolvem o ex-presidente. O primeiro foi uma frase dele comparando o governo Temer a uma “pinguela”. A declaração irritou auxiliares do presidente. Também incomodou o que foi considerado um “balão de ensaio”, lançado por um aliado de FHC, Xico Graziano – que defendeu uma possível candidatura dele à Presidência num eventual colégio eleitoral em caso de cassação da chapa Dilma-Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A ação foi proposta pelo PSDB.

Veja a íntegra da nota:

Em razão de informações divulgadas por alguns veículos de imprensa, o PSDB, por meio de seu presidente de honra, Fernando Henrique Cardoso, do presidente nacional, senador Aécio Neves, do líder no Senado, senador Paulo Bauer, do líder na Câmara, deputado Antônio Imbassahy, e interpretando o sentimento amplamente majoritário de seus membros, reafirma sua confiança nos rumos que o governo está imprimindo à economia brasileira neste momento extremamente difícil.

Reiterando os compromissos expressos quando, responsavelmente, o PSDB definiu apoio ao governo de transição sob comando do presidente Michel Temer e entregou um conjunto de ideias para o país, o partido continua com o intuito de trabalhar para a retomada da confiança, elemento fundamental para o retorno de investimentos e empregos no país. É com este exclusivo sentido que o PSDB dará as sugestões que pareçam pertinentes para o Brasil superar as crises pelas quais passa.

Sabemos da gravidade da situação herdada, gerada pelos erros e irresponsabilidade dos governos anteriores. Por isso mesmo cabe ao PSDB continuar a agir de forma responsável, como esperam os brasileiros e como o país precisa.

Fernando Henrique Cardoso - presidente de honra do PSDB

Senador Aécio Neves - presidente nacional do PSDB

Senador Paulo Bauer - líder do PSDB no Senado

Deputado Antônio Imbassahy - líder do PSDB na Câmara dos Deputados

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.