1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Em Manaus, Dilma diz que Mais Médicos 'precisa avançar'

GABRIELA LARA, CARLA ARAUJO E BEATRIZ BULLA - Agência Estado

14 Fevereiro 2014 | 12h 05

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira, 14, que tem "muito cuidado" com o programa Mais Médicos. Segundo Dilma, o programa ainda está em processo de formação, mas precisa avançar porque "é preciso perceber que o Brasil não pode esperar e as pessoas precisam de médicos".

"O Mais Médicos foi para solucionar o fato de que pessoas precisam de atendimento de saúde e respeitoso", disse Dilma, em entrevista a emissoras locais de rádio de Manaus (AM). "Esse é um programa que coloca as pessoas no centro da questão. É um programa do meu coração e eu cuido dele todo o dia."

Segundo a presidente, o Norte do País é o maior beneficiado pelo programa em razão do baixo número de profissionais na região. Dilma afirmou que, dos 62 municípios do Amazonas, 61 solicitaram profissionais pelo programa. "No total, o Amazonas pediu 406 médicos, só Manaus pediu 128", disse.

De acordo com a presidente, até o momento o Amazonas tem 281 médicos do programa atuando no Estado. "Eles vão continuar chegando progressivamente", afirmou. "Teremos mais 150 médicos no Estado, o que dará um pouco mais que os 406 solicitados."

Dilma disse que até abril o programa deve atingir a meta de chegar a 13 mil médicos no País. Com isso, segundo a presidente, serão beneficiados 46 milhões de pessoas que não tinham atendimento médico.

A presidente participará nesta manhã de cerimônia de entrega de 5.384 Unidades Habitacionais do Residencial Viver Melhor e anúncio de investimentos do PAC 2 Mobilidade Urbana. No período da tarde, Dilma visita as obras do Estádio Arena da Amazônia e o Barco Escola Samaúma II.

Zona Franca

A presidente afirmou que o governo irá se empenhar de forma "muito decidida" na prorrogação da Zona Franca de Manaus. "Enviei em 2011 proposta de emenda constitucional ao Congresso Nacional propondo que os benefícios da Zona Franca tenham vigência por mais 50 anos", disse Dilma.

"Obviamente, acredito na sensibilidade dos parlamentares para perceber que a Zona Franca tem um papel fundamental no Brasil que é viabilizar para os 20 milhões de amazonenses um polo industrial limpo, sustentável e adequado para todos aqueles que têm compromisso com o meio ambiente, com a preservação da maior floresta tropical do mundo e, ao mesmo tempo, com o bem-estar da população", afirmou a presidente. "Nós vamos lutar para aprovar essa proposta de emenda à Constituição", afirmou, salientando que seu compromisso é pelo empenho na aprovação do projeto ainda neste ano.

Dilma citou um questionamento da União Europeia sobre o sistema tributário da Zona Franca e disse que o governo "acha legítimo o sistema tributário" e "defenderá em todas as instâncias a Zona Franca". "Temos convicção de que estamos fazendo o correto e defenderemos (a Zona Franca) de forma muito forte e incisiva." A presidente afirmou que fará uma viagem à União Europeia no dia 24 deste mês e que um dos temas de sua pauta é a questão da Zona Franca de Manaus.

BR - 319

Ao ser questionada sobre a conclusão da BR-319, que liga o Amazonas ao resto do Brasil, Dilma voltou a falar do compromisso de equilibrar os interesses da população com a preservação do meio ambiente. ''Esse compromisso será mantido. Nós seremos muito corretos para ninguém falar que estamos desmatando a Amazônia", afirmou. Sobre o prazo de entrega da rodovia, Dilma disse que se preocupa mais com a qualidade do que com o tempo. "Tentarei de todas as formas fazer (a obra) no meu governo."