Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Em entrevista à CNN, Dilma minimiza impeachment

Em entrevista a canal americano, presidente diz que problema dos pedidos de afastamento é a motivação

Marcelle Gutierrez, O Estado de S. Paulo

25 Outubro 2015 | 11h10

SÃO PAULO - Foi ao ar na manhã deste domingo a entrevista da presidente Dilma Rousseff ao jornalista Fareed Zakaria, que comanda o programa GPS no canal americano de televisão CNN. Crise, impeachment, carreira e vida política foram os temas abordados no programa, que foi gravado no dia 25 de setembro.

A crise política brasileira foi classificada por Zakaria como "aparentemente bem séria", com movimentos pelo impeachment embasados pela oposição em casos de corrupção, principalmente na Petrobrás e em outros aspectos do governo. Dilma disse que o grande problema está na motivação para os pedidos de afastamento. Em outras ocasiões, a presidente chegou a citar oas tentativas de afastá-la do cargo como "golpe" da oposição.

Ao ser questionada pelo jornalista se seu governo utiliza as crises política e econômica atuais para fazer reformas estruturais, Dilma falou sobre as políticas sociais dos últimos anos que, segundo ela, tiraram milhares de pessoas da miséria e transformaram o Brasil de um país pobre em classe média. "O Brasil era um país predominantemente pobre e tornou-se um país de classe média". A presidente disse, ainda, que o governo está comprometido com reformas fiscais e sociais. "Nós queremos deixar esse legado".

Mais conteúdo sobre:
Dilma CNN impeachment

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.