Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Política » Eleições no interior de SP terão disputas entre atuais e ex-prefeitos

Política

Eleições no interior de SP terão disputas entre atuais e ex-prefeitos

Nos casos em que não haverá a possibilidade de reeleição, políticos tradicionais devem comandar a disputa

0

Gustavo Porto,
O Estado de S. Paulo

06 Janeiro 2016 | 14h00

Ribeirão Preto - As eleições municipais de 2016 nos maiores municípios do interior do Estado de São Paulo deverão ser marcadas pela disputa entre ex-prefeitos e os atuais detentores do cargo. Nos casos em que não haverá a possibilidade de reeleição, políticos tradicionais devem comandar a disputa.

Maior cidade do interior paulista, com mais de 1,1 milhão de habitantes, Campinas tem o prefeito Jonas Donizette (PSB) como candidato à reeleição e deve ter um tucano como vice, que pode não ser o atual vice-prefeito Henrique Magalhães Teixeira (PSDB). "O PSDB vai continuar apoiando o Jonas", disse Pedro Tobias, deputado estadual e presidente do partido em São Paulo.

Na disputa com Donizette, o economista Marcio Pochmann deve ser o nome do PT, reeditando o embate com o atual prefeito que chegou a ir para o segundo turno em 2012. Além dele, o vereador Arthur Orsi (PSDB), filho do ex-prefeito Edivaldo Orsi, morto em 2002, é cobiçado pelo PSD. Ainda devem ser candidatos o ex-prefeito Pedro Serafim (PRB) e até mesmo Hélio de Oliveira Santos (PDT), prefeito cassado pela Câmara Municipal em agosto de 2011 por suspeitas de corrupção. Dr. Hélio, como é conhecido, reassumiu o comando do PDT no município e já deu sinais que irá encarar a eleição.

Em São José dos Campos, a disputa deve novamente ser polarizada entre PT e PSDB. O atual prefeito, Carlinhos Almeida (PT) tentará a reeleição e deverá enfrentar o ex-prefeito por dois mandatos Emanuel Fernandes (PSDB) (1997-2004). "Não podemos dar novamente chance ao PT em São José", disse Tobias ao lembrar a derrota dos tucanos em 2012, quando Carlinhos venceu Alexandre Blanco (PSDB).

A eleição em Ribeirão Preto (PT), terceira maior cidade do interior paulista, deverá ser marcada pela tentativa do atual secretário de Logística e Transportes do Estado de São Paulo, deputado federal Duarte Nogueira (PSDB), de quebrar um tabu. Nas três vezes em que tentou ser prefeito do município, foi derrotado, duas delas para o ex-ministro Antonio Palocci (PT) e, a mais recente, para a atual prefeita, Dárcy Vera (PSD), reeleita em 2012.

Favorito, Nogueira terá como adversários políticos tradicionais na cidade, mas nenhum ex-prefeito ou nome conhecido nacionalmente. Os possíveis candidatos são os vereadores Ricardo Silva (PDT) e Samuel Zanferdini, do PMDB, mas que deve deixar o partido antes de março, a convite do PSD. O presidente do PMDB do Estado de São Paulo e deputado federal Baleia Rossi tem base eleitoral na cidade, mas afirma que não irá disputar a eleição a prefeito. "Nós temos bons nomes como o do professor da USP e ex-vereador Paulo Saquy e até mesmo do deputado estadual Léo Oliveira", disse. Já o PT de Palocci cogita ainda o nome do jornalista e escritor Galeno Amorim.

Em Sorocaba, a disputa pode reeditar 2012 e ter o atual prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB) contra o ex-prefeito Renato Amary (PMDB). A única mudança seria se Pannunzio desistisse da reeleição, como tem declarado nos últimos meses, alegando pressão familiar e problemas de saúde. Caso isso ocorra, o deputado federal e também ex-prefeito Vitor Lippi (PSDB) seria o nome dos tucanos. Na tentativa de encerrar a alternância de nomes tradicionais, a surpresa seria o deputado estadual Raul Marcelo (PSOL).

Sem a possibilidade de reeleição de Valdomiro Lopes (PSB), políticos tradicionais devem disputar a prefeitura de São José do Rio Preto. O ex-prefeito, ex-ministro e deputado federa Edinho Araújo (PMDB) é nome certo para a disputa, segundo Baleia Rossi, presidente do partido em São Paulo. Além de Araújo, podem concorrer três deputados estaduais: Rodrigo Garcia (DEM), atualmente licenciado por ser secretário de Habitação do Estado de São Paulo, Vaz de Lima (PSDB), e João Paulo Rillo (PT).

Já em Jundiaí, o prefeito Pedro Bigardi (PCdoB) terá como principal adversário um tucano que virá da disputa interna. Os nomes do PSDB são o deputado estadual Luiz Fernando Machado, derrotado por Bigardi em 2012, o deputado federal e ex-prefeito Miguel Haddad e ainda o também ex-prefeito André Benassi. "Deixa que eles se entendam e certamente teremos um candidato para reconquistar a prefeitura de Jundiaí", afirmou Pedro Tobias, presidente do PSDB estadual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.