Eleição de Feliciano é parte da democracia, diz Barbosa

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, afirmou nesta sexta-feira em aula proferida na Universidade de Brasília (UnB), que a eleição do deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para a Comissão de Direitos Humanos da Câmara e os protestos por sua saída são parte da democracia.

FELIPE RECONDO, Agência Estado

05 Abril 2013 | 12h57

Barbosa teve de se manifestar sobre o tema ao ser questionado por uma das alunas da UnB. "Eu sabia que viria alguma saia justa", ironizou. "A minha resposta é de quem viveu durante anos e anos nesse ambiente de liberdade. É simples: o deputado Marco Feliciano foi eleito pelos seus pares para assumir um determinado cargo dentro do Congresso Nacional. Perfeito", disse. "Agora, a sociedade tem direito de se exprimir contrariamente à presença dele neste cargo. Isso é democracia", concluiu.

O deputado é alvo de protestos por declarações tidas por homofóbicas e racistas. Feliciano deve prestar depoimento nesta sexta-feira no STF em inquérito que investiga denúncia de estelionato. Ele foi denunciado em 2009 pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul por ter recebido R$ 13 mil para ministrar um culto religioso ao qual não compareceu.

Mais conteúdo sobre:
FELICIANO JOAQUIM BARBOSA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.