1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Eduardo e Marina se reúnem para definir situação do PSB em SP

Isadora Peron - O Estado de S. Paulo

04 Junho 2014 | 23h 51

Encontro está marcado para esta quinta, na véspera da plenária que dirá se partido vai apoiar a reeleição de Geraldo Alckmin (PSDB)

Eduardo Campos e Marina Silva marcaram para esta quinta-feira, 5, uma reunião de emergência para discutir a situação do PSB em São Paulo. O encontro acontecerá um dia antes da plenária convocada pelo deputado Márcio Franca, presidente do PSB paulista, na qual o diretório estadual pretende tirar um indicativo de apoio à reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Até a entrada de Marina no PSB, França era o nome mais cotado para ser vice na chapa tucana. A ex-ministra, no entanto, acabou convencendo Campos da necessidade de lançar candidato próprio no maior colégio eleitoral do País. Na segunda-feira, porém, o pré-candidato à Presidência deu declarações de que não pretende intervir na decisão tomada pelo diretório estadual.

Segundo interlocutores da ex-ministra, os dois ainda não conversaram sobre o assunto. A reunião desta quinta vai tentar encontrar uma solução para o impasse.

Na última semana, aliados da ex-ministra subiram o tom contra o apoio do PSB à reeleição de Alckmin. O principal argumento é que a aliança vai contra o que está sendo defendido no plano nacional, que é a construção de uma nova política.

Ao Estado, o porta-voz nacional da Rede, deputado licenciado Walter Feldman (PSB), classificou como "promiscuidade" uma possível união entre PSB e PSDB. Ex-tucano, ele argumenta que o grupo não tem nada contra a figura do governador, mas que não haveria como explicar ao eleitor como no plano nacional eles são adversários do PSDB e em São Paulo serão aliados.

Segundo Feldman, se a aliança com os tucanos realmente se concretizar, Marina ficará longe da campanha em São Paulo e a Rede vai apoiar outra candidatura, provavelmente a do vereador Gilberto Natalini, pré-candidato pelo PV.

 

  • Tags: