Dutra ouve queixas do PT por causa de cargos no governo Dilma

Presidente do Partido dos Trabalhadores diz que insatisfações por 'falta de espaço' são naturais

VERA ROSA, de O Estado de S. Paulo

07 Dezembro 2010 | 22h59

BRASÍLIA - O presidente do PT, José Eduardo Dutra, admitiu nesta terça-feira que há insatisfações de seu partido e também nas fileiras do PMDB por causa da montagem da equipe de Dilma Rousseff. Durante mais de duas horas de reunião, na Câmara, Dutra ouviu queixas de deputados petistas, inconformados com a "falta de espaço e representação" no futuro governo, e procurou acalmar a bancada.

"Cada vez que você indica alguém para um cargo público gera dez insatisfeitos e um ingrato", afirmou ele. "Isso é natural e estou convencido de que nos próximos dias vamos chegar a um acordo."

A bancada do PT na Câmara insiste em retomar Cidades - pasta hoje comandada pelo PP - e quer emplacar Alexandre Padilha - titular de Relações Institucionais - no Ministério da Saúde. Além disso, reclama da decisão da presidente eleita de transferir os ministérios do Turismo e da Previdência, administrados pelo PT, para o controle do PMDB.

Na prática, o PT gostaria que José Di Filippi Jr., tesoureiro da campanha de Dilma e ex-prefeito de Diadema, ficasse com Cidades, mas o ministério deve permanecer com o PP. É possível, porém, que haja troca de ministros do mesmo partido. Hoje, o nome mais cotado para o cargo é o do deputado Mário Negromonte (PP-BA).

Dutra pediu à bancada que ajude Dilma a emplacar mulheres no Ministério. Argumentou que, apesar da "decisão política" da presidente eleita de elevar a presença feminina na Esplanada, até agora os aliados não indicaram mulheres para os principais cargos. "Cabe ao PT a tarefa de auxiliar Dilma", insistiu Dutra.

Mais conteúdo sobre:
Dilma Roussef PT Lula José Eduardo Dutra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.