Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Doria diz ser possível 'acomodar' Skaf em coalizão pelo governo estadual

Após encontro de 40 minutos com Michel Temer, prefeito de São Paulo defende aliança para a eleição de outubro

Marcelo Osakabe, O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2018 | 15h33
Atualizado 08 Fevereiro 2018 | 20h16

O prefeito João Doria (PSDB) afirmou nesta quinta-feira, 8, ser possível "acomodar" o presidente da Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, numa futura coalizão para a eleição deste ano, com PSDB, MDB, DEM, PP e PSD, tanto em nível federal quanto estadual. O tucano conversou com jornalistas após encontro de 40 minutos com o presidente Michel Temer (MDB), no escritório do emedebista, na zona sul da Capital paulista.

"O Paulo é, primeiro, um excelente empresário, uma boa liderança no plano empresarial e político, tem capital, figura importante, além de ser meu amigo. Espero poder continuar mantendo boas conversas, construtivas, para uma aliança futura aqui no Estado de São Paulo", disse o prefeito. "Tenho sempre procurado defender que a coalizão PSDB, MDB, DEM, PP e PSD, entre outros bons partidos, pode ajudar o Brasil a encontrar um bom caminho na sucessão presidencial e também em São Paulo", afirmou.

Doria, que se movimenta para assegurar sua candidatura ao governo do Estado, negou ter discutido esse assunto com o emedebista ou ainda o apoio da legenda à sua chapa, mas lembrou que São Paulo tem 32 milhões de eleitores e que é capaz de decidir uma eleição. "Se pudermos estar juntos, melhor", resumiu. 

Nesta quinta-feira, 8, o presidente licenciado do PSD, o ministro Gilberto Kassab disse que o partido deve compor uma chapa com o PSDB na disputa pelo governo de São Paulo, mas evitou se colocar já como vice de Doria, caso o tucano se viabilize candidato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.