Andre Penner/AP
Andre Penner/AP

Doria diz que não tem intenção de deixar o PSDB

Em encontro nesta quinta, Temer abordou Doria sobre candidatura à Presidência pelo PMDB

Gilberto Amendola, O Estado de S.Paulo

11 Agosto 2017 | 00h56

SÃO PAULO - O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou na noite desta quinta-feira, 10, que fica "feliz" com interesse de outros partidos, mas que não tem a "intenção de deixar o PSDB". "Esse é o meu partido. As portas foram abertas... (Em relação ao interesse do PMDB e DEM) O que me deixa muito feliz. PMDB e DEM são parte da nossa base em São Paulo", afirmou o tucano, em evento em São Paulo.

Mais cedo, O Estado de S.Paulo revelou que o DEM e o PMDB, que integram o núcleo duro de apoio ao governo Michel Temer, se aproximaram de Doria e sinalizaram com a possibilidade de lançá-lo candidato ao Palácio do Planalto. A abordagem peemedebista foi feita pelo próprio presidente Michel Temer (PMDB), que disse ao prefeito que "as portas do PMDB estão abertas" para que ele dispute a Presidência da República no ano que vem.

Sobre o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), o prefeito voltou a dizer que a relação entre eles é indivisível. "São 37 anos de uma relação pessoal, independente da política. Não é hora de falar em eleição", afirmou. Doria também falou que é cedo para avaliar a necessidade de antecipação das prévias dentro do PSDB.

O prefeito admitiu, ainda, que a propaganda de TV em que o PSDB admitiu erros não foi a mais feliz. "Respeito muito o senador Tasso (Jereissati), mas a forma de comunicação, pelo que vi no teaser, não foi a mais feliz. Claro que assumir erros com humildade é sinal de sabedoria. Até Jesus errou", afirmou Doria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.