Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Doria diz que não é responsável por 'operação esquenta' para ser candidato a governador

Prefeito de São Paulo afirma que não é hora de discutir sucessão ao Palácio dos Bandeirantes

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

11 Janeiro 2018 | 08h47

Correções: 15/01/2018 | 10h48

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que não é responsável pela "operação esquenta" que aliados movimentam para viabilizar seu nome como candidato a governador do Estado nas eleições deste ano. Questionado sobre a possibilidade, o tucano evita afirmar se está disposto ou não a concorrer à sucessão de seu padrinho político, o governador Geraldo Alckmin (PSDB).

"Eu não sou responsável pela operação esquenta", disse o prefeito, em entrevista na noite de quarta-feira, 11, à TV Gazeta. O termo foi usado pela jornalista Maria Lydia Flândoli quando questionou o prefeito sobre o movimento que deputados estaduais e prefeitos tucanos que defendem a candidatura dele para o governo paulista estão conduzindo em diretórios do partido. "Não é hora de discutir Palácio dos Bandeirantes nem sucessão", afirmou o prefeito.

Doria, que já tentou se viabilizar para disputar a Presidência da República neste ano, reforçou seu compromisso com a candidatura de Alckmin ao Planalto. "Provavelmente, haverá prévia com o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio. O PSDB é um partido democrático, se existir a prévia o governador vai disputar e vencerá."

+++ Para FHC, Alckmin precisa provar que pode unir centro

+++ Aloysio e Anastasia defendem candidatura de Alckmin ao Planalto

Ele evitou criar polêmica com o senador José Serra (PSDB-SP), que também tenta ser o nome do partido para o Bandeirantes e que recentemente foi alvo de delação do ex-presidente da Odebrecht Pedro Novis. O executivo acusou Serra de receber ou solicitar para o partido R$ 54,2 milhões ilícitos, o que o tucano nega. Doria classificou Serra como um "grande nome" e disse que quer continuar sendo prefeito e respeitar "figuras importantes" do partido.

Correções
15/01/2018 | 10h48

Ao contrário do publicado, o nome correto da jornalista da TV Gazeta é Maria Lydia Flândoli e não Maria Lydia Albuquerque.

Mais conteúdo sobre:
João Doria Geraldo Alckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.