Paulo Lopes/Futura Press
Paulo Lopes/Futura Press

Doria agora admite disputar prévias com Alckmin no PSDB

Se antes dizia não estar nos planos, prefeito de São Paulo afirma que 'o tempo vai dizer' sobre decisão de enfrentar padrinho político

Marcelo Osakabe e Letícia Fucuchima, O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2017 | 12h12

Após afirmar ao Estado que não disputará prévias com o governador Geraldo Alckmin para escolha do presidenciável em 2018 dentro do PSDB, o prefeito de São Paulo, João Doria, admitiu nesta terça-feira, 12, que pode sim enfrentar seu padrinho político nessa disputa.

"Eu tenho, pessoalmente, muito constrangimento, porque gosto do governador Alckmin, é meu amigo e por quem mantenho profunda administração. Preferiria não, mas o tempo vai dizer, temos até dezembro, início de março, para formatar isso", disse o tucano, que fez o discurso de abertura do Fórum Latino-Americano de liderança estratégica em infraestrutura, na Capital paulista.

Na segunda-feira, 11, Doria e Alckmin participaram de um almoço no Lide, grupo de lideranças empresariais que contou com a participação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No evento, FHC defendeu a "união" dos potenciais candidatos tucanos ao Planalto e disse entender que março seria uma data limite para a realização de prévias dentro do partido.

O prefeito disse não ser contra a realização de prévias nacionais, mas defendeu também o uso de pesquisas, que são um instrumento "bom e legítimo para se ter a avaliação dos candidatos". Segundo Doria, intenção de voto, rejeição e grau de conhecimento são fatores que podem ajudar o PSDB a escolher seu candidato. Ele também reiterou o discurso de FHC no evento da véspera, afirmando que o "PSDB continua e continuará unido". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.