Dois peemedebistas disputam relatoria do caso Renan

Epitácio Cafeteira se afasta do cargo por dez dias alegando motivos de saúde

Agencia Estado

18 Junho 2007 | 14h34

O presidente do Conselho de Ética do Senado, senador Sibá Machado (PT-AC), conversou nesta segunda-feira, 18, com dois senadores peemedebistas a respeito da substituição de Epitácio Cafeteira, relator do processo contra o presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB). Leomar Quintanilha (PMDB-TO) e Walter Pereira (PMDB-MS) recusaram a princípio a função, mas um deles deve ser o escolhido para substituir Cafeteira. De acordo com a assessoria do presidente do Conselho, o novo relator estará regimentalmente impedido de alterar o voto de Cafeteira, favorável ao arquivamento da representação contra Renan. Cafeteira pediu afastamento da função por dez dias, nesta manhã, alegando motivos de saúde. Cafeteira afirmou diversas vezes que não mudará seu parecer recomendando o arquivamento do caso em hipótese nenhuma. Ele ameaçou entregar o cargo à líder do PT, Ideli Salvatti (SC), para não ficar "desmoralizado", quando o Conselho decidiu adiar a votação na sexta-feira, 15, rejeitando o apelo que Renan lhe fez por telefone, sob a alegação de que obedecia ao Regimento da Casa. O Conselho de Ética adiou a votação do processo e deve fazê-lo na terça-feira, após a perícia da Polícia Federal nas cópias de notas fiscais, recibos e guias de transporte de animais entregues por Renan para provar que o dinheiro usado para quitar despesas pessoais não era da Mendes Júnior. A representação contra Renan Calheiros, de iniciativa do Psol, está relacionada à suspeita de que dinheiro de um lobista de uma empreiteira teria sido usado para pagar pensão à jornalista Mônica Veloso, com quem o senador tem uma filha. Nesta segunda, às 14h30, o Conselho de Ética do Senado, vai ouvir o lobista da empreiteira Mendes Júnior, Claudio Gontijo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.