1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Doente, ministro da Integração Nacional vai entregar o cargo

- Atualizado: 18 Fevereiro 2016 | 09h 18

Gilberto Occhi informou ao 'Estado' que fará cirurgia para tratar um câncer de próstata; cargo fica à disposição do PP, partido que o indicou, que já discute a sucessão

BRASÍLIA - O ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, vai se licenciar do cargo para uma cirurgia de câncer de próstata. Occhi disse ao Estado que já informou a presidente Dilma Rousseff sobre seu estado de saúde e afirmou ter posto o cargo à disposição do PP, partido que o indicou, caso a legenda queira substituí-lo.

Gilberto Occhi (PP) deixa o ministério das Cidades e vai para pasta da Integração Nacional no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff (PT)

Gilberto Occhi (PP) deixa o ministério das Cidades e vai para pasta da Integração Nacional no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff (PT)

“Eu vou me licenciar, mas se houver uma necessidade agora de haver outra indicação do presidente do partido (senador Ciro Nogueira) para o Ministério, eu não tenho problema em relação a isso. Se for necessária uma composição da liderança, acho que é o momento de fazer isso sem problema nenhum”, afirmou o ministro. "Eu sempre coloquei o cargo à disposição do partido. Da presidenta, o cargo é dela mesmo então não precisa colocar à disposição.", complementou.

Embora Occhi fale em afastamento, é provável que ele deixe o cargo após a cirurgia, ainda sem data marcada. O tumor foi descoberto em fase inicial e o  ministro está fazendo exames. "Estou nos últimos exames, ainda tem que fazer um preparatório. Tem algum desconforto, a pressão sobe um pouco. Tem que cuidar antes da cirurgia", disse.

O PP pretende usar a pasta numa composição política que pode depender da disputa pela liderança do partido na Câmara, protagonizada pelos deputados Aguinaldo Ribeiro (PB) e Cacá Leão (BA). A eleição está acirrada e a vaga no ministério ajudaria a evitar um racha. O novo líder deve ser conhecido na próxima quarta-feira, 24, numa disputa de segundo turno. O preferido da cúpula do partido para ocupar o ministério é Cacá Leão.

O Ministério da Integração Nacional tem como principal obra a transposição do rio São Francisco. Dilma estipulou prazo até dezembro para que o projeto seja concluído, o que tem ocupado o tempo do ministro.

Ministro desde março de 2014, quando sucedeu Aguinaldo Ribeiro na pasta de Cidades, Occhi é funcionário de carreira da Caixa Econômica Federal. Antes de assumir a pasta, ele foi vice-presidente de Governo do banco. Já o comando do Ministério da Integração Nacional foi assumido por ele em janeiro de 2015.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX