Reprodução Facebook
Reprodução Facebook

Dilma se exalta ao ser questionada sobre corrupção na Lava Jato pela Al Jazeera

Jornalista pergunta se presidente cassada foi cúmplice ou incompetente com relação a esquema de desvios instalado na Petrobrás

O Estado de S.Paulo

16 Dezembro 2016 | 20h55

Em entrevista ao programa UpFront, da rede de televisão Al Jazeera, a ex-presidente Dilma Rousseff se exaltou com uma pergunta em tom de provocação do jornalista Mehdi Hasan sobre o conhecimento da petista a respeito do esquema de corrupção instalado na Petrobrás investigado pela Operação Lava Jato.

O jornalista questiona se Dilma agiu por incompetência ou cumplicidade. "Qual das duas versões é verdadeira?", pergunta ele, que ouve: "Meu querido, esse é um tipo de escolha de Sofia que eu não entro", diz a ex-presidente. "Há uma diferença, e há no mundo inteiro, entre um conselho e uma diretoria executiva. Nem todos os membros da diretoria sabiam que aqueles diretores da Petrobras tinham mecanismos de corrupção e estavam se enriquecendo de forma indevida", responde.

A presidente também é questionada sobre o envolvimento de membros do PT no esquema. "Não é meu papel aqui julgar ninguém", afirma ela. Nesse momento, entrevistador e entrevistada tentam falar ao mesmo tempo com ânimos exaltados. Nem ele a deixa falar nem ela o ouve.

Dilma também chama seu então vice-presidente Michel Temer de "traidor". "Eu nunca esperei que ele fosse um traidor, mas ele é um traidor. Ele não me traiu como pessoa, me traiu como presidente do Brasil. Ele traiu uma instituição e, além disso, traiu uma campanha", afirma. A entrevista pode ser vista no site do programa Upfront.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.