1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Dilma: 'Recebo a missão honrosa e desafiadora que é ser pré-candidata'

Carla Araújo - Agência Estado

02 Maio 2014 | 21h 21

Lançamento da pré-candidatura à reeleição, durante 14º Encontro Nacional do partido, no Centro de Convenções do Anhembi (SP), tem como objetivo afastar o 'volta, Lula'

São Paulo - A presidente Dilma Rousseff agradeceu a confiança do PT durante a formalização de sua candidatura à reeleição na noite desta sexta-feira, 2, em São Paulo. "Recebo a missão honrosa e desafiadora que é ser pré-candidata do PT à Presidência", disse, durante a abertura oficial do 14º Encontro Nacional do partido, que no Centro de Convenções do Anhembi.

Dilma agradeceu o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pouco antes fez um discurso defendendo a candidatura dela. "Foi o compromisso com o povo brasileiro que nos uniu, esse compromisso não se quebra", afirmou a presidente dirigindo-se ao seu antecessor.

A presidente disse ainda que quando Lula assumiu o Brasil "era um". "Quando deixou (o governo) o Brasil era muito melhor, com imensa autoestima", afirmou. Dilma disse que essa nova realidade criou desafios quando ela chegou ao poder. "Quando o sucedi, eu tinha uma tarefa fantástica", disse.

Dilma chamou o antecessor de "lenda" e falou que quando recebeu a faixa presidencial de suas mãos, não viu "peso nos seus ombros", pois sabia e acompanhou o bom trabalho que havia sido feito. A presidente agradeceu também o apoio da militância e aos partidos aliados.

A presidente citou o período de crise e exaltou políticas feitas durante o governo petista. "Enfrentamos a crise apostando no futuro do Brasil, na força da nossa economia, no processo de distribuição de renda", afirmou. Citando os programas Mais Médicos, Pronatec e Minha Casa, Minha Vida, Dilma disse ainda que o governo fez muito. Mas "temos certeza de que precisamos fazer mais", afirmou. Ela anunciou ainda que já está em elaboração o Minha Casa, Minha Vida 3.

Petrobrás. Em seu discurso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que não se pode permitir que "uma elite" tente destruir a imagem de uma empresa como a Petrobrás. Lula afirmou que quando ele era presidente também se falava em CPI da Petrobrás.

"Não podemos permitir que mentiras deslavadas sejam veiculadas todo dia muitas vezes sem dar o outro lado", disse Lula durante a abertura oficial do 14º Encontro Nacional do PT, no Centro de Convenções do Anhembi, em São Paulo, e formalizou a pré-candidatura da presidente Dilma Rousseff. "A Petrobras é uma briga do povo brasileiro."

Lula ponderou que é preciso apurar qualquer denúncia. "Temos que ter consciência: se alguém entre nós cometer um erro tem que pagar pelo erro que cometeu", afirmou.

Em sua fala, o ex-presidente deu parabéns a Dilma pelo pronunciamento de 1º de maio. "Acho que os trabalhadores estavam precisando ouvir um discurso daquele. O PT estava precisando de um discurso daquele." Lula comentou ainda a repercussão que o discurso teve na oposição. "Do lado de lá eles ficaram nervosos. Portanto, querida, faça mais", afirmou, dirigindo-se a Dilma.

Volta Lula.  Lula fez uma rápida menção aos petistas presos no processo do mensalão e afirmou que há uma campanha na imprensa que não é contra "nossos companheiros presos, é contra o nosso partido". Segundo Lula, o medo da oposição é de uma vitória de Dilma poderia dar chance de ele voltar em 2018. "Ficam dizendo se eu terei ou não saúde, que ainda vou estar vivo. Isso é uma insanidade", disse.

No discurso, o ex-presidente ainda fez críticas à imprensa. "Nosso principal partido de oposição é a imprensa", disse.