1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Dilma rebate críticos do Minha Casa e promete mais 3 milhões de unidades

Carla Araújo e Gustavo Porto - Agência Estado

02 Julho 2014 | 12h 09

Em cerimônia no Espírito Santo, presidente apresenta números da terceira etapa do programa, ainda sem previsão de lançamento

Atualizado às 13h15

São Paulo - Em recado a adversários e opositores, a presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) afirmou nesta quarta-feira, 2, que o governo federal pretende operacionalizar a contratação de 3 milhões de moradias na terceira etapa do Minha Casa Minha Vida, ainda sem data prevista de lançamento. "Apesar de muita gente ficar azarando, dizendo que o programa não daria para nada, não ia acontecer, contratamos no governo Lula 1 milhão de moradias e, depois, no meu governo, 2,75 milhões de moradias", disse em cerimônia de entrega de casas em Vila Velha (ES).

Segundo Dilma, já foram contratadas 3,75 milhões de moradias em seu governo e nas gestões de seu antecessor, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Isso [o programa] é para que as pessoas possam ter acesso ao imóvel, ao patrimônio", disse.

Até o final do governo dela, serão contratadas 3,75 milhões de unidades, ou seja, se a terceira etapa do programa for viabilizada serão 6,75 milhões de habitações. "Estamos sinalizando aos empresários, porque se não sinalizar agora que o programa vai continuar, eles não se prepararam para o que vai acontecer em 2015, é que nós queremos que programa continue", disse. "Nossa ideia é que na terceira fase estamos pensando em 3 milhões para a próxima etapa. Tem de ter horizonte de construção", complementou.

Campanha. Em Vila Velha, Dilma participa da entrega da primeira das três etapas de um conjunto habitacional, com 496 de um total de 1.488 unidades. Em clima de campanha, Dilma foi aplaudida e teve seu nome gritado pela plateia formada, em sua maioria, pelos donos das unidades habitacionais, os quais pediam "Dilma outra vez", ou cantavam o tradicional "Olê, olê, olê, olá, Dilma". A coordenadora no Espírito Santo do Movimento Nacional de Luta pela Moradia, Maria Clara da Silva, que falou no evento, também pediu a reeleição da presidente.

Após o início formal da campanha eleitoral, a lei proíbe a participação de candidatos em inaugurações de obras.

A presidente segue ainda nesta quarta para Vitória (ES), onde participa de formatura de alunos do Pronatec. À tarde, Dilma retorna a Brasília para a assinatura de contratos do PAC Mobilidade Urbana para o Grande ABC e para o anúncio de investimentos para os municípios de Campos dos Goytacazes (RJ) e de Rio Branco (AC), no Palácio do Planalto.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo