Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Política » Dilma marca reunião com possível substituto de Padilha

Política

Dilma marca reunião com possível substituto de Padilha

Presidente vai se encontrar com secretário de Saúde de São Bernardo, Arthur Chioro, favorito para ocupar o Ministério da Saúde, antes de viagem para Suíça, no próximo dia 23

0

Vera Rosa,
O Estado de S. Paulo

16 Janeiro 2014 | 23h54

Brasília - A presidente Dilma Rousseff vai se reunir na próxima terça-feira, 21, com o secretário de Saúde de São Bernardo do Campo, Arthur Chioro, favorito para substituir o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que deixará o cargo para ser candidato do PT ao governo de São Paulo. Dilma disse a auxiliares que pretende tomar a decisão sobre o sucessor de Padilha antes de viajar para Davos, na Suíça, onde participará do Fórum Econômico Mundial, a partir do dia 23.

O anúncio sobre a escolha da presidente, porém, pode ficar para depois, já que Padilha - mentor do programa Mais Médicos - irá acompanhá-la na viagem a Cuba, entre os dias 27 e 29, quando haverá a II Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), em Havana.

Dilma teve longa conversa sobre a troca de comando no Ministério da Saúde, na última terça-feira, com o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, chamado às pressas ao Palácio do Planalto. Na avaliação da cúpula do PT, o perfil de Chioro - diretor no Ministério da Saúde no período de 2003 a 2005 - ajuda tanto a campanha da reeleição de Dilma como a estréia de Padilha na briga paulista.

Aprovada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a indicação de Chioro está agora sob análise de Dilma, que se irritou com a disputa interna na Esplanada por uma 'solução caseira'. O atual secretário de Marinho é petista e presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo (Cosems). Dirigentes do partido acreditam que, com este perfil, ele pode disputar a agenda da saúde com o governador Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição e principal adversário de Padilha.

Chioro também tem atuado como patrocinador do programa Mais Médicos, visto pelo PT como trunfo das campanhas de Dilma e Padilha. No ano passado, porém, o nome dele foi alvo de questionamento da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Bernardo. Motivo: o secretário de Marinho é sócio majoritário da Consaúde, consultoria que mantém contratos com diversas prefeituras, inclusive do PT. À época, Chioro alegou não atuar na empresa desde 2009.